Petróleo fecha em queda em Nova York, a US$ 93,53

Nova York – Os preços do petróleo fecharam em queda nesta sexta-feira, ainda sob a pressão da crise na Europa, onde a agência de classificação de risco Fitch baixou para negativa a perspectiva da nota da dívida de longo prazo da França, atualmente em “AAA”.

O barril de West Texas Intermediate (designação do “light sweet crude” negociado nos EUA) para entrega em janeiro cedeu 34 centavos no New York Mercantile Exchange, a 93,53 dólares.

Em Londres, o barril de Brent do Mar do Norte para igual entrega fechou a 103,35 dólares no Intercontinental Exchange (ICE), 25 centavos abaixo do fechamento de quinta-feira.

“O mercado continua sob a pressão da Europa, particularmente com a revisão para baixo da perspectiva da nota francesa”, resumiu Andy Lipow, da companhia Lipow Oil Associates.

O último golpe ocorreu nesta sexta-feira na forma da queda de “estável” para “negativa”, com a qual a agência Fitch qualificou a perspectiva da nota da dívida de longo prazo da França, atualmente uma “AAA”, a melhor possível.

“Os mercados compreendem que vai haver ainda mais austeridade na Europa, o que se vai traduzir em uma queda da demanda”, explicou Lipow.

“Apesar de as estatísticas serem melhor que o esperado, o sentimento geral é que a Zona Euro se contrai e que o crescimento dos Estados Unidos permanece fraco”, afirmaram os analistas do JPMorgan.

Entre outros indicadores, os Estados Unidos registraram em uma semana um novo retrocesso dos pedidos de seguro-desemprego, que caíram a seu menor nível em quase três anos e meio.

Para Tom Bentz, do BNP Paribas, essas estatísticas publicadas na quinta-feira não beneficiam o mercado porque este “já sabia que a situação ia melhorar nos Estados Unidos”.