Petróleo fecha em queda à espera de informe de estoque

Mercado também acompanhou os acontecimentos geopolíticos na Europa, com a expectativa de novas sanções econômicas contra a Rússia

Nova York – Os preços do petróleo recuaram nesta terça-feira, 22, depois de terem fechado em Nova York ontem no nível mais alto desde 1º de julho. Traders disseram que o mercado operou na expectativa do informe do Departamento de Energia dos EUA (DoE) sobre o nível dos estoques norte-americanos na semana passada.

A previsão dos analistas é uma redução de 2,5 milhões de barris nos estoques de petróleo bruto.

Os traders também estarão atentos ao informe sobre o nível dos estoques no centro de distribuição de Cushing (Oklahoma). Os estoques em Cushing tiveram uma redução forte nos últimos meses, porque novos oleodutos permitiram um escoamento maior para as refinarias na região da costa do Golfo do México; na semana, eles estavam no nível mais baixo desde 2008.

O mercado também acompanhou os acontecimentos geopolíticos na Europa, com a expectativa de que a União Europeia anuncie novas sanções econômicas contra a Rússia por causa da crise na Ucrânia.

Na Líbia, o terminal de exportação de petróleo do porto de Brega, no leste do país, deverá voltar a operar depois de ficar fechado por mais de uma semana em razão de uma greve.

O governo líbio havia anunciado ontem que o campo de produção de petróleo de Sharara, que havia deixado de produzir durante cinco meses por estar ocupado por guerrilheiros islamitas, foi reaberto.

Na New York Mercantile Exchange (Nymex), os contratos de petróleo bruto para agosto, que venceriam após o fechamento, fecharam a US$ 104,42 por barril, em baixa de US$ 0,17 (0,16%); os contratos para setembro fecharam a US$ 102,39 por barril, em queda de US$ 0,47 (0,46%).

Na Intercontinental Exchange (ICE), os contratos do petróleo Brent para setembro fecharam a US$ 107,33 por barril, em baixa de US$ 0,35 (0,33%). Fonte: Dow Jones Newswires.