Petróleo fecha em leve queda pressionado por dólar

Por Álvaro Campos

Nova York – Os contratos futuros de petróleo fecharam em leve queda, com a alta do dólar pressionando os preços e interrompendo o rali da semana passada.

Os contratos de petróleo com entrega para novembro perderam US$ 0,11 (0,13%), fechando a US$ 81,47 o barril na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês). Na plataforma ICE, o petróleo do tipo Brent fechou em queda de US$ 0,47 (0,56%), a US$ 83,28 o barril.

A máxima intraday atingida hoje, de US$ 82,38 o barril, ficou apenas US$ 0,60 abaixo do maior nível desde maio. Mas os investidores ficaram cautelosos quando os reflexos do rali da semana passada desapareceram rapidamente. Para Walter Zimmerman, analista técnico da United-ICAP, o comportamento atual do petróleo é muito semelhante ao último rali, em agosto. Naquela ocasião, três sessões consecutivas de ganhos foram seguidas de uma parada perto de US$ 82,47 e depois de uma forte retração. “As pessoas ainda se lembram quando elas compraram na alta, porque elas se deram mal. Não é uma surpresa que as coisas tenham parado nesse nível agora.”

A queda de hoje interrompeu um aumento de 6,7% registrado na semana passada, quando o petróleo ultrapassou várias marcas que estavam limitando os ganhos anteriormente. O petróleo não fechava acima de US$ 80 o barril desde o começo de agosto, mas uma queda surpreendente nos estoques de combustíveis nos EUA e o dólar fraco deram uma nova energia para o mercado.

Mas esses fatores não se repetiram hoje. O índice ICE Dollar, que monitora a cotação da moeda norte-americana ante uma cesta de moedas, se recuperou nesta segunda-feira, após ter atingido o menor nível desde janeiro na sexta-feira. Quando o dólar está mais forte, o petróleo fica mais caro para compradores que usam outras moedas. A moeda norte-americana tem caído firmemente desde meados de setembro, com o aumento da probabilidade de que o Federal Reserve (Fed, banco central americano) comece a comprar bônus do Tesouro dos EUA ou adote outras medidas para estimular a economia.

“O dólar subiu um pouco, e foi provavelmente isso que impediu o petróleo de avançar”, disse Tony Rosado, corretor da GA Global Markets. “É mais ou menos o tipo de calmaria de começo de mês”, acrescentou.

Os mercados de ações norte-americanos também operaram no negativo durante boa parte da sessão nesta segunda-feira. Às 16h54 (de Brasília), o índice Dow Jones registrava retração de 0,88%.

Os contratos de gasolina reformulada (RBOB) com entrega para novembro fecharam em queda e US$ 0,0072, a US$ 2,0933 o galão. Os contratos de óleo para aquecimento com entrega para novembro fecharam em queda de US$ 0,0091, a US$ 2,2847 o galão. As informações são da Dow Jones.