Petróleo fecha em alta após anúncio da Arábia Saudita

A Arábia Saudita anunciou que reduzirá as exportações e o furacão Nate desacelerou a produção da commodity nas áreas afetadas

Nova York – Os contratos futuros de petróleo fecharam em alta nesta terça-feira, 10, no maior nível em uma semana, impulsionados pelo aparente progresso em direção a um mercado mais equilibrado por parte da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), com a Arábia Saudita anunciando uma redução das exportações de petróleo, além de uma desaceleração induzida pelo furacão Nate, que afetou áreas de produção da commodity nos Estados Unidos.

Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o petróleo WTI para novembro fechou em alta de 2,70%, a US$ 50,92 por barril. Já na Intercontinental Exchange (ICE), o barril do petróleo tipo Brent para dezembro avançou 1,47%, a US$ 56,61.

Na segunda-feira, o ministro de Petróleo da Arábia Saudita, Khalid al-Falih, afirmou que o país irá exportar 7% menos petróleo bruto via mar em novembro, em comparação com o mesmo período do ano passado.

O movimento faz parte dos esforços em andamento da Opep e de outros grandes produtores, incluindo a Rússia, para estabilizar os preços da commodity por meio da redução da produção, em um acordo que expira em março do próximo ano.

Na semana passada, o rei saudita Salman e o presidente russo, Vladimir Putin, se reuniram em Moscou, onde as discussões incluíram a extensão dos cortes até o fim de 2018, mas nenhum acordo foi firmado.

“Os sauditas continuam a assinalar sua intenção. Este foi um sinal de que eles falam sério sobre tentar reequilibrar o mercado”, afirmou o gerente de pesquisa da Tradition Energy, Gene McGillan.

Os dados semanais dos estoques de óleo cru dos EUA devem mostrar, na quinta-feira, uma queda de 400 mil barris na semana encerrada em 6 de outubro, de acordo com a consultoria S&P Global Platts.

Os danos causados pela agora tempestade tropical Nate no fim de semana ficaram abaixo dos danos de outras tormentas mais severas da temporada, como o Harvey e o Irma.

No entanto, seu caminho por meio do Golfo do México interrompeu a produção de petróleo à medida que plataformas de produção da commodity foram esvaziadas e algumas operações foram interrompidas.

Fonte: Dow Jones Newswires.