Petróleo fecha em alta, a 93,03 dólares o barril

Preços dos contratos futuros de petróleo foram impulsionados pela redução dos pedidos de seguro-desemprego nos Estados Unidos

Nova York – Os preços dos contratos futuros de petróleo fecharam em alta, nesta quinta-feira, impulsionados pela redução dos pedidos de seguro-desemprego nos Estados Unidos, um indicador positivo para a demanda de petróleo, e pela queda do dólar durante as operações.

O barril de “light sweet crude” (WTI) com entrega em abril subiu 51 centavos a 93,03 dólares, no New York Mercantile Exchange (Nymex).

Em Londres, o barril de petróleo de Brent do Mar do Norte com entrega em abril fechou a 109,42 dólares no Intercontinental Exchange (ICE), uma alta de 90 centavos com relação ao fechamento de quarta-feira.

Após ter sido influenciado pela valorização da moeda americana no início das operações, o preço do barril de petróleo “aproveitou uma recuperação do apetite pelo risco”, uma tendência que seguia outros mercados, especialmente a alta registrada na bolsa de Nova York, explicou David Bouckhout, da TD Securities.

Esta retomada do otimismo se traduziu em um aumento dos ativos considerados mais arriscados frente ao dólar, “o que acentuou a recuperação do petróleo”, acrescentou Bouckhout.

A melhora do panorama econômico nos Estados Unidos, especialmente no setor de emprego, com uma inesperada queda das novas inscrições no seguro-desemprego, foi a causa principal desta alta.

Os pedidos de seguro-desemprego caíram pela terceira vez consecutiva na primeira semana de março, atingindo seu mínimo desde 19 de janeiro, data na qual este indicador alcançou um piso em cinco anos.

Estas estatísticas constituem um indício positivo para a demanda de petróleo nos Estados Unidos, o maior consumidor mundial, destacou o analista John Kilduff, de Again Capital.

Segundo Matt Smith, da Schneider Electric, a alta foi freada pelas incertezas ligadas à publicação dos dados sobre a demanda e as reservas pela Agência Internacional de Energia (AIE) e o Departamento de Energia (DoE), respectivamente.

A AIE, dependente da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico(OCDE), revisou para baixo nesta quarta-feira sua previsão para a demanda mundial de petróleo em 2013.

A organização prevê uma demanda de petróleo de 90,6 milhões de barris por dia (mbd) este ano, ou seja, 60.000 barris a menos que o previsto em fevereiro.

A alta do preço do petróleo também foi influenciada por uma alta maior que o previsto das reservas de petróleo nos Estados Unidos, na semana encerrada no dia 8 de março.

As autoridades americanas reportaram que as reservas registraram uma alta de 2,6 milhões de barris, um aumento ligeiramente maior em relação às previsões dos analistas.