Petróleo Brent supera US$119 por preocupação com oferta

Uma explosão atingiu um oleoduto na Síria nesta quarta-feira, aumentando os tumultos no país

Londres – O petróleo subia para mais de 119 dólares o barril nesta quarta-feira, com interrupções e ameaças de corte de oferta superando as preocupações sobre a saúde da economia global. Uma explosão atingiu um oleoduto na Síria nesta quarta-feira, aumentando os tumultos, como a greve no Iêmen, que interrompeu a produção em seu maior campo de petróleo, e a apreensão pelo Sudão de mais petróleo do Sudão do Sul, em uma disputa sobre questões de pagamento.

Por volta das 9h55 (horário de Brasília), o petróleo tipo Brent estava em alta de 1,8 dólar, a 119,15 dólares o barril. O petróleo nos EUA subia 1,19 dólar, a 101,93 dólares. “Os riscos da oferta continuam dando suporte aos preços”, disse Carsten Fritsch, analista do Commerzbank. O petróleo também encontra suporte diante da interrupção de oferta de petróleo do Irã, como resultado da piora das tensões sobre o programa nuclear iraniano.

O Irã é o segundo maior produtor do Oriente Médio, e a União Europeia decidiu que interromperá as exportações de petróleo do Irã a partir de 1o de julho, estimulando consumidores a procurarem por ofertas alternativas.

Excedente da oferta

Apesar das preocupações com a oferta, a disponibilidade atual de petróleo continua adequada, disse o Commerzbank, dada a recuperação na produção líbia após a paralisação das exportações no ano passado. A Arábia Saudita, maior exportador, ainda deve reduzir sua oferta de maneira significativa, após ter aumentado a produção no ano passado, para compensar a escassez da commodity da Líbia.

O Commerzbank vê um excedente de cerca de 1 milhão de barris por dia (bpd) -logo acima de 1 por cento na demanda global- no mercado. Ainda assim, os riscos de oferta ultrapassam os efeitos da crise da dívida na zona do euro e devem manter o Brent acima dos 110 dólares o barril, disse Jeremy Friesen, estrategista de commodities da Societe Generale. “O mercado do petróleo continua preso entre a deterioração da economia global e as questões de oferta, incluindo as atuais interrupções da oferta no Sudão”, disse ele. “Eu não acho que é realista esperar que os riscos no Oriente Médio desapareçam.”

Em um sinal de que a zona do euro possa sucumbir à uma leve recessão, dados desta quarta-feira mostraram que a economia alemã sofreu uma leve contração nos últimos três meses, enquanto a França subia a um nível de crescimento anêmico. Mesmo assim, as últimas indicações dos Estados Unidos sugerem uma base firme para uma recuperação econômica. Ainda nesta quarta-feira, a Administração de Informação de Energia (AIE) vai divulgar seu relatório semanal de petróleo.

Analistas esperam que os estoques de petróleo aumentem 1,5 milhão de barris.