Petróleo Brent atinge máxima de 9 meses com demanda chinesa

O aumento das importações de petróleo da China mostraram que o consumo do setor está em recuperação

Nova York – Os futuros de petróleo Brent atingiram nesta sexta-feira a maior de alta em nove meses, perto de 119 dólares o barril, após a divulgação de fortes dados econômicos chineses e de importação de petróleo, aumentando o prêmio do Brent sobre o do óleo dos EUA.

Importações chinesas de petróleo subiram para a terceira mais alta taxa diária já registrada, e as exportações e importações totais da China foram muito mais fortes do que o esperado, mostrando sinais de uma recuperação no consumo de petróleo do segundo maior consumidor mundial.

O Goldman Sachs, um dos bancos mais influentes nos mercados de commodities, disse que o rali do Brent neste ano é “menos impulsionado por choques de oferta e mais por melhora da demanda.” “A demanda global de petróleo tem surpreendido positivamente nos últimos meses, de acordo com retomada da atividade econômica”, afirmaram analistas do banco em uma nota de pesquisa, que aconselhou os clientes a manter uma posição longa no índice S&P GSCI Brent Crude Total Return.

O Brent subiu a 118,92 dólares o maior valor desde maio. O petróleo nos EUA caía 22 centavos, a 95,61 dólares o barril às 16h10. O prêmio do Brent sobre petróleo nos EUA subiu para 23 dólares, ampliando sua diferença para o mais alto valor desde dezembro.

Os corretores também esperam que uma nevasca forte no nordeste dos Estados Unidos, que poderia acumular aproximadamente um metro de neve a partir de sexta-feiram para sábado, possa trazer complicação às viagens e ao consumo no país.

As importações de petróleo da China em janeiro subiram 7,4 por cento ante um ano atrás, para 5,92 milhões de barris por dia, a terceira maior taxa diária já registrada, mostraram dados oficiais, com refinarias aumentando a produção antes do Ano Novo Lunar.