Petrobras sobe, mas não evita queda de 1,22% da Bolsa

Por Claudia Violante

São Paulo – A crise política na Líbia continuou a espalhar aversão a risco no mercado financeiro e provocou mais um dia de perdas na Bolsa brasileira. O índice Bovespa à vista perdeu mais um patamar, retornando aos 66 mil pontos, e só não teve uma queda maior por causa do desempenho dos papéis da Petrobras. As ações da estatal se beneficiaram da disparada do preço do petróleo no mercado futuro.

O Ibovespa terminou o dia em queda de 1,22%, aos 66.439,83 pontos. Na mínima do pregão, o índice registrou 66.342 pontos (-1,36%) e, na máxima, 67.570 pontos (+0,46%). No mês, o índice voltou a acumular queda, de 0,20% e, no ano, perda de 4,13%. O giro financeiro totalizou R$ 8,446 bilhões. Os dados são preliminares.

A situação na Líbia se agravou nas últimas horas, com a violenta repressão às manifestações contra o coronel Muamar Kadafi. Os portos foram fechados, duas empresas já paralisaram quase ou totalmente sua produção de petróleo no país, e a tribo Zawiya tomou o controle de três campos estatais de petróleo.

Na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), o contrato futuro de petróleo para março (que venceu hoje) subiu 8,55%, para US$ 93,57 o barril, enquanto o contrato futuro de abril avançou 6,36%, a US$ 95,42. Em Londres, o petróleo tipo Brent superou os US$ 107 o barril durante o dia.

As bolsas terminaram em queda ao redor do globo. Nos EUA, os investidores retornaram do feriado do Dia do Presidente em clima negativo. O Dow Jones terminou em baixa de 1,44%, aos 12.212,79 pontos, o S&P-500, de -2,05%, aos 1.315,44 pontos, e o Nasdaq de -2,74%, aos 2.756,42 pontos.

Na Bolsa brasileira, a alta do petróleo fez os papéis da Petrobras, novamente, registrarem forte avanço. Petrobras ON subiu 1,91% e Petrobras PN teve ganho de 1,35%.

Hoje, poucos papéis da carteira do Ibovespa subiram. Ações dos setores de siderurgia e de bancos caíram em bloco, assim como construção civil e varejo. Na esteira da queda dos preços dos metais nas bolsas de commodities, Vale ON terminou em baixa de 2% e Vale PNA, de -1,83%.