Perspectivas: o que importa para os mercados na próxima semana

Agenda interna esvaziada contrasta com cronograma importante no cenário externo

São Paulo – Os indicadores econômicos têm agenda rarefeita na segunda semana de janeiro. No cenário interno, o cronograma fica ainda mais desacelerado: o destaque é das vendas no varejo de dezembro às 9 horas da quarta-feira (12). Os índices de preços concentrados no começo da semana aparecem em seguida.

“As ações das varejistas podem oscilar com o anúncio das vendas no varejo, cuja estimativa é de leve desaceleração quando comparadas a novembro”, destaca Pedro Galdi, analista da SLW Corretora. Já para a inflação, a estimativa de resultados mais altos não deve surpreender o mercado, que já aguarda oscilação devido a reajustes de preços administrados em diversas cidades, explica Galdi. O cronograma traz o IGP-M do primeiro decêndio às 8 horas da segunda-feira (10) e IPC-FIPE às 5 horas da terça-feira.

Cenário externo

Na agenda internacional, o mercado deve acompanhar de perto pistas da recuperação da economia americana, que parece ter se fortalecido após o anúncio recente de números otimistas no mercado de trabalho.

Entre os dados mais importantes, o analista Marcelo Varejão, da corretora Socopa, aconselha os investidores a ficarem de olho no Livro Bege, divulgado às 17 horas da quarta-feira (12), e nos índices de vendas no varejo e produção industrial na sexta-feira (14) às 11h30 e 12h15 de Brasília. “O mercado aguarda a comprovação de que os Estados Unidos não são mais um problema”, explica.

O analista destaca também balança comercial da China ainda na segunda-feira (10). “Os números chineses podem mexer com as commodities no mundo”, projeta o analista. Por fim, a reunião do Banco Central Europeu, na quinta-feira (13), traz o veredito para a taxa de  juros na região.

Leia mais: CVM quer exigir de FIDC informações sobre carteiras

Direto da Bolsa: Itaú BBA continua otimista com ações de shoppings