Perdigão fará nova oferta de ações na Bovespa

Operação terá como objetivo levantar recursos para financiar a compra da Eleva

A Perdigão protocolou junto à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) um pedido para realização de nova oferta pública de ações primárias na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). A empresa pretende levantar recursos para financiar a compra da Eleva, adquirida no dia 30 de outubro por 598 milhões de reais em dinheiro, mais troca de ações.

Após o pagamento aos acionistas controladores da Eleva, a Perdigão fará uma oferta pública de aquisição (OPA) para obter 46,23% das ações da Eleva que estão em poder dos acionistas minoritários. Serão oferecidas aos minoritários as mesmas condições negociadas com os controladores (termo conhecido no mercado como tag along): 25,82 reais por ação, com pagamento em dinheiro. Pelas demais ações dos minoritário, a Perdigão oferecerá uma nova ação da companhia para cada 1,74 ação ordinária da Eleva.

Ontem, as ações da Eleva encerraram o pregão na Bovespa cotadas a  24,60 reais, e as da Perdigão a 44,70 reais. No ano passado, a Perdigão levantou 800 milhões de reais com uma oferta pública na qual foram vendidas 32 milhões de ações ordinárias a 25 reais. Em pouco mais de um ano, as ações da empresa tiveram valorização de quase 80%.

Com a compra da Eleva, dona da marca Elegê, a Perdigão ultrapassou a arqui-rival Sadia em faturamento, tornando-se a maior empresa brasileira de alimentos. No ano passado, as receitas de Perdigão e Eleva atingiram 8,2 bilhões de reais. A Sadia faturou 7,9 bilhões no período. Em 2006, a Perdigão foi alvo de uma oferta hostil de aquisição por parte da Sadia. A proposta foi rejeitada.