PANORAMA3-EUA e Europa voltam a preocupar; país avalia 2o turno

SÃO PAULO, 4 de outubro (Reuters) – Dados apontando um
quadro ainda misto sobre a recuperação nos Estados Unidos e
renovadas preocupações com a Europa ditaram queda nos
principais mercados globais nesta segunda-feira.

No Brasil, investidores também avaliaram a confirmação de
que haverá segundo turno na eleição presidencial e, de maneira
geral, analistas gostariam que os candidatos Dilma Roussef (PT)
e José Serra (PSDB) aproveitassem as próximas semanas para
apresentar de maneira mais clara suas propostas
[ID:nN04101840].

O contínuo fluxo de estrangeiros permitiu mais uma vez que
a bolsa brasileira tivesse desempenho melhor que o de Wall
Street e das ações europeias, que recuaram após a queda nas
encomendas recebidas pela indústria dos Estados Unidos em
agosto. Já o dólar acompanhou o movimento externo e subiu ante
o real.

As encomendas recuaram 0,5 por cento, embora, excluindo o
segmento de transportes, tenham aumentado 0,9 por cento. Nem
mesmo um dado favorável sobre o mercado imobiliário
norte-americano conseguiu levar os índices ao azul
[ID:nN04120464].

Na Europa, o FTSEurofirst 300 cedeu pela sexta
sessão consecutiva, maior série desde janeiro de 2009.

Os mercados também monitoraram notícias envolvendo países
europeus que ainda enfrentam dificuldades fiscais. O banco
central da Irlanda disse que a economia vai ficar praticamente
estável neste ano, enquanto a Grécia divulgou previsões
apontando recessão pelo terceiro ano seguido em 2011
[ID:nN04103273].

Também não agradou a informação de que reguladores suíços
decidiram que os bancos UBS e Credit Suisse
terão de levantar mais capital que o exigido pelos novos
padrões internacionais.

Com esse pano de fundo, o euro se afastava da máxima em
seis meses, o que ajudava a valorizar a moeda norte-americana
frente a uma cesta de moedas .

Da agenda local, destaque para a redução nos prognósticos
para a inflação em 2011 apuradas pelo Banco Central junto ao
mercado [ID:nN04131632]. O dado permitiu alívio nos DIs.

Veja como terminaram os principais mercados nesta
segunda-feira:

CÂMBIO

O dólar fechou a 1,692 real, em alta de 0,65 por cento em
relação ao fechamento anterior.

BOVESPA

O Ibovespa subiu 0,22 por cento, a 70.384 pontos. O volume
financeiro na bolsa foi de 5,86 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS

O índice dos principais ADRs brasileiros recuou 0,19 por
cento, a 35.465 pontos.

JUROS

O DI janeiro de 2012 apontava 11,42 por cento ao ano no
call das 16h, ante 11,44 por cento no ajuste anterior.

EURO

A moeda comum europeia era cotada a 1,3682 dólar, ante
1,3789 dólar no fechamento anterior nas operações
norte-americanas.

GLOBAL 40

O título de referência dos mercados emergentes, o Global
40, mostrava estabilidade, a 138,688 por cento do valor de
face, oferecendo rendimento de 2,497 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS

O risco Brasil subia 1 ponto, a 204 pontos-básicos. O EMBI+
avançava 1 ponto, a 275 pontos-básicos.

BOLSAS DOS EUA

O índice Dow Jones recuou 0,72 por cento, para
10.751 pontos. O Nasdaq caiu 1,11 por cento, para 2.344
pontos. O S&P 500 perdeu 0,80 por cento, a 1.137 pontos.

PETRÓLEO

Na Nymex, o contrato de petróleo com vencimento mais curto
caiu 0,11 dólar, a 81,47 dólares por barril.

TREASURIES DE 10 ANOS

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos,
referência do mercado, subia, oferecendo rendimento de 2,479
por cento ante 2,513 por cento no fechamento anterior.

(PANORAMA1, PANORAMA2 e PANORAMA3 são localizados no
terminal de notícias da Reuters pelo código )

(Por José de Castro; Edição de Daniela Machado)