PANORAMA2-Medo de crise na Europa aprofunda queda do euro

SÃO PAULO, 30 de novembro (Reuters) – A preocupação com a
crise na Europa mantinha as bolsas pressionadas e o euro em
queda livre nesta terça-feira, com a moeda abaixo de 1,30
dólar, no menor nível em 11 semanas.

A moeda comum também se desvalorizava frente à libra, o
franco suíço e o iene –contra o qual caía 2 por cento.

O prêmio de risco de países como Itália e Espanha batia
recordes na história do euro. Os investidores temem que, após
Grécia e Irlanda, a crise fiscal na região coloque dúvidas
sobre a capacidade de pagamento de países maiores.

“É muito preocupante porque a Espanha é quase grande demais
para ser socorrida… E a Itália é grande demais para isso”,
disse Everett Brown, estrategista de bônus da IDEAglobal.

O que amenizava o pessimismo dos investidores era o índice
de confiança do consumidor nos Estados Unidos, que subiu em
novembro para 54,1 pontos, acima da expectativa do mercado.

No Brasil, o principal efeito da aversão internacional a
risco era sobre a bolsa, onde o Ibovespa permanecia nos menores
níveis desde setembro, abaixo de 68 mil pontos.

A maior queda do índice cabia à BM&FBovespa , com
baixa de 2,74 por cento, a 13,15 reais. A empresa recebeu auto
de infração da Receita Federal cobrando mais de 400 milhões de
reais em tributos que não teriam sido recolhidos em 2008 e
2009, em meio ao processo de união de BM&F e Bovespa.

No mercado de câmbio, o dólar tinha poucas oscilações,
diferentemente do exterior. O vencimento de contratos futuros
na BM&FBovespa influenciava o mercado, com a disputa pela
formação da última Ptax (taxa média do dólar) no mês.

No mercado de juros futuros, as projeções realizavam uma
pausa após a série recente de altas. Mais cedo, a Federação das
Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) divulgou que a
atividade industrial paulista subiu 0,5 por cento em outubro
ante setembro e que o nível de utilização da capacidade
instalada na indústria ficou em 82,8 por cento no mês passado
com ajuste sazonal, ante 82,2 por cento em setembro.

Veja como estavam os principais mercados às 13h28 desta
quinta-feira:

CÂMBIO

O dólar era cotado a 1,721 real, em queda de 0,17 por cento
frente ao fechamento anterior.

BOVESPA

O Ibovespa tinha variação negativa de 0,02 por cento, para
67.892 pontos.

ADRs BRASILEIROS

O índice dos principais ADRs brasileiros cedia 0,25 por
cento, a 34.260 pontos.

JUROS

O DI janeiro de 2012 estava em 11,98 por cento ao ano ante
12,05 por cento no ajuste anterior.

EURO

A moeda comum europeia era cotada a 1,3029 dólar,
ante 1,3122 dólar no fechamento anterior.

GLOBAL 40

O título de referência dos mercados emergentes, o Global
40, xxxx para xxxx por cento do valor de face, oferecendo
rendimento de xxxx por cento ao ano.

RISCO-PAÍS

O risco Brasil subia 5 pontos, para 196 pontos-básicos. O
EMBI+ avançava 9 ponto, a 275 básicos.

BOLSAS DOS EUA

O índice Dow Jones caía 0,28 por cento, a 11.021
pontos, o S&P 500 perdia 0,37 por cento, a 1.183 pontos,
e o Nasdaq tinha queda de 0,68 por cento, aos 2.507
pontos.

PETRÓLEO

Na Nymex, o contrato de petróleo mais próximo declinava
0,32 dólar, a 85,41 dólares por barril.

TREASURIES DE 10 ANOS

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos,
referência do mercado, subia, oferecendo rendimento de 2,7822
por cento ante 2,826 por cento no fechamento anterior.

(PANORAMA1, PANORAMA2 e PANORAMA3 são localizados no
terminal de notícias da Reuters pelo código )