PANORAMA2-Bolsas se ajustam nos EUA após ganhos recentes

SÃO PAULO, 14 de outubro (Reuters) – As bolsas
internacionais tomavam fôlego após semanas de alta nesta
quinta-feira, com os índices nos Estados Unidos, Europa e
Brasil perto da estabilidade.

O índice Ibovespa exibia apenas uma ligeira alta, ajudado
pelo desempenho de Vale e Petrobras , em
meio à contínua valorização das commodities.

No exterior, o sinal era negativo, com ajustes após uma
alta acumulada de 12 por cento do índice Standard & Poor’s 500
desde o início de setembro. [ID:nN14111308]

Ações de bancos eram as mais prejudicadas em Nova York, com
receios sobre a investigação nos Estados Unidos no setor de
hipotecas. Bank of America caía 5 por cento.

A agenda internacional foi intensa, mas tinha impacto
reduzido nos mercados. O número de pedidos de
auxílio-desemprego voltou a subir nos Estados Unidos, para 462
mil solicitações. Os preços ao produtor avançaram 0,4 por cento
em setembro no país, acima das expectativas. E o déficit
comercial norte-americano cresceu 8,8 por cento em agosto, para
46,4 bilhões de dólares. [ID:nN14110908]

No mercado de câmbio, o dólar mantinha a tendência global
de queda, intensificada após Cingapura ampliar a banda cambial
para permitir uma valorização maior de sua moeda.

“A ação da Autoridade Monetária de Cingapura pode
significar ao longo do tempo uma aceitação maior da fraqueza do
dólar na periferia asiática”, disse Jack Spitz, diretor de
câmbio do National Bank of Canada, em Toronto.

Mas, no Brasil, a moeda norte-americana se mantinha perto
da estabilidade, em leve alta, após ter recuado abaixo de 1,65
real na abertura. Operadores atribuem o movimento contido a
ajustes por parte de alguns agentes. O mercado ainda monitora a
possibilidade de novas medidas do governo para tentar frear a
valorização do real.

Questionado sobre uma ação adicional do governo, o ministro
da Fazenda, Guido Mantega, disse “não sei” a jornalistas.

Já o mercado de juros futuros mostrava queda das projeções,
em repercussão de um resultado mais ameno que o esperado para o
Índice Geral de Preços ao Mercado (IGP-M) na primeira prévia de
outubro. O dado ficou em 0,75 por cento. [ID:nN14113549]

Veja como estavam os principais mercados às 13h04 desta
quinta-feira:

CÂMBIO

O dólar era cotado a 1,663 real, em alta de 0,48 por cento
frente ao fechamento anterior.

BOVESPA

O Ibovespa subia 0,11 por cento, para 71.755 pontos. O
volume financeiro na bolsa era de 4,3 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS

O índice dos principais ADRs brasileiros cedia 0,39 por
cento, a 36.716 pontos.

JUROS

Os contratos de DI exibiam baixa, com o DI janeiro de 2012
em 11,28 por cento ao ano ante 11,34 por cento no ajuste
anterior.

EURO

A moeda comum europeia era cotada a 1,4063 dólar,
ante 1,3962 dólar no fechamento anterior.

GLOBAL 40

O título de referência dos mercados emergentes, o Global
40, recuava para 140,813 por cento do valor de face, oferecendo
rendimento de 2,071 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS

O risco Brasil cedia 2 pontos, para 177 pontos-básicos. O
EMBI+ recuava 2 pontos, a 251 pontos-básicos.

BOLSAS DOS EUA

O índice Dow Jones caía 0,2 por cento, a 11.073
pontos, o S&P 500 tinha baixa de 0,4 por cento, a 1.173
pontos, e o Nasdaq tinha declínio de xxx por cento, aos
2.436 pontos.

PETRÓLEO

Na Nymex, o contrato de petróleo mais curto ganhava 0,2
dólar, ou 0,18 por cento, a 83,18 dólares por barril.

TREASURIES DE 10 ANOS

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos,
referência do mercado, caía, oferecendo rendimento de 2,4593
por cento ante 2,422 por cento no fechamento anterior.

(PANORAMA1, PANORAMA2 e PANORAMA3 são localizados no
terminal de notícias da Reuters pelo código )

(Reportagem de Silvio Cascione; Edição de Aluísio Alves)