Pagseguro cai mais de 17% após UOL anunciar venda de parte do negócio

Oferta de ações pode levantar mais de meio bilhão de dólares para sócios

As ações da Pagseguro chegaram a ter 17,80% de queda na Bolsa de Nova York (NYSE, na sigla em inglês) após a empresa comunicar, nesta terça-feira (15), que o Uol pretende vender 16,75 milhões ações ordinárias tipo A da empresa. Às 12h15, o ativo se desvalorizava 13,48% e era negociado a 40,07 dólares.

A venda da participação será feita no mercado secundário. Ou seja, o dinheiro arrecadado será destinado aos sócios que estão vendendo a parte do negócio e não ao caixa da companhia. Estima-se que a oferta possa render cerca de 650 milhões de dólares, levando em consideração o preço atual por ação.

Com a venda dos papeis, o Pagseguro passará a ter 179,96 milhões de ações tipo A em livre circulação, 54,7% do total. Segundo o comunicado, os bancos Goldman Sachs e Morgan Stanley irão coordenar a oferta.

A empresa brasileira de meios de pagamento fez IPO na NYSE em janeiro de 2018 e, na ocasião, arrecadou 2,3 bilhões de dólares com a oferta de 21,5 dólares por ação. Nos primeiros meses, o papel chegou a acumular alta de mais de 18%, mas logo entrou em queda e terminou o ano no negativo. Em junho daquele ano, uma oferta subsequente também fez os papéis sofrerem fortes recuos.

Em 2019, porém, a ação da Pagseguro tem se mostrado um bom investimento. Até segunda-feira (15), o papel acumulava retorno de 147%. Caso cotação feche em 40 dólares, alta acumulada será de 114%.

Entre os principais motivos para o bom desempenho na bolsa está o aumento do lucro líquido do negócio, que só no segundo trimestre teve crescimento de 42% em relação ao mesmo período do ano passado.