Outubro: estrangeiros elevam participação na Bolsa mas saldo fica negativo

Apesar do forte avanço do Ibovespa, o saldo de capital externo ficou negativo em 6,2 bilhões de reais

São Paulo – Investidores estrangeiros voltaram a responder por mais de metade do volume de compra e venda de ações no segmento Bovespa em outubro, quando houve forte saída de capital externo, de acordo com dados disponibilizados pela B3.

A parcela de estrangeiros no mês passado ficou em 50,4 por cento do volume, ante 49,1 por cento em setembro, 47,2 por cento em agosto e 48 por cento em julho. Em junho, havia sido de 51 por cento. Um ano antes, foi de 46,8 por cento.

Investidores institucionais também elevaram a participação, para 26,4 por cento em outubro, contra 25,9 por cento. A fatia das pessoas físicas, por sua vez, caiu a 17,8 por cento, ante 19,8 por cento em setembro.

Em outubro, o Ibovespa acumulou alta de 10,2 por cento, com forte volume financeiro negociado. A média financeira diária alcançou 16,9 bilhões de reais, um salto de 76,4 por cento em relação a setembro.

O período foi marcado pelos dois turnos da eleição presidencial no Brasil, com o desfecho saindo no dia 28 de outubro, com vitória de Jair Bolsonaro.

Apesar do forte avanço do Ibovespa, o saldo de capital externo ficou negativo em 6,2 bilhões de reais, revertendo entradas líquidas de 3,3 bilhões de reais em setembro. No acumulado do ano, as saídas líquidas somam 5,9 bilhões de reais. (Por Paula Arend Laier, edição Alberto Alerigi Jr.)