Ouro sobe com ajuste de posições antes de ata do Fed

Traders estão ajustando posições enquanto acompanham os discursos de várias autoridades do Fed esta semana

São Paulo – Os contratos futuros de ouro negociados na Comex, a divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), fecharam em leve alta, mas continuaram dentro de um intervalo de preços restrito.

Investidores avaliaram os discursos de autoridades do Federal Reserve ontem e hoje e ajustaram posições antes de novos comentários previstos para esta semana e da divulgação, marcada para amanhã, da ata da última reunião de política monetária.

Por outro lado, a demanda estável pela commodity no primeiro trimestre de 2014, segundo dados do Conselho Global do Ouro, limitou os ganhos.

O contrato de ouro mais negociado, com entrega para junho, avançou US$ 0,80 (0,06%), a US$ 1.294,60 a onça-troy.

“Há muitas coisas acontecendo embaixo da superfície do calmo mercado de ouro este mês”, disse Mark OByrne, diretor da GoldCore, de Dublin.

“A calma superficial deve mudar nos próximos dias, pois parecemos à beira de um forte movimento para o lado positivo ou negativo assim que o ouro sair do intervalo estreito em que se encontra há um mês, entre US$ 1.283 a onça-troy e US$ 1.310 a onça-troy.”

Traders estão ajustando posições enquanto acompanham os discursos de várias autoridades do Fed esta semana.

Hoje, o presidente do Fed Nova York, William Dudley, afirmou que o banco não terá pressa para aumentar as taxas de juros, enquanto o presidente do Fed Filadélfia, Charles Plosser, salientou que a economia norte-americana deve crescer em ritmo acelerado na segunda metade de 2014 e no início do ano que vem, o que provavelmente exigiria que o Fed “comece a elevar taxas de juro mais cedo ou mais tarde”.

Investidores devem agora ficar atentos a comentários da presidente do Fed, Janet Yellen, e dos presidentes das distritais de Kansas City e Minneapolis, previstos para esta semana, e à divulgação da ata da última reunião de política monetária amanhã.

Entretanto, o anúncio por parte do Conselho Global do Ouro de que a procura pela commodity no primeiro trimestre ficou quase inalterada na comparação com igual período de 2013 limitou os ganhos.

Segundo o conselho, a demanda por ouro totalizou 1.074,5 toneladas nos três primeiros meses de 2014, ante 1.077,2 toneladas um ano antes. Com Dow Jones Newswires.