Ouro renova recorde de alta com aversão a risco

Preço subiu para US$ 1.878,95 a onça-troy no mercado à vista

Londres – O ouro continua subindo em meio à aversão ao risco que domina os mercados e estabeleceu novo recorde hoje aos US$ 1.878,95 a onça-troy no mercado à vista. Às 7h57 (de Brasília), o ouro à vista era negociado a US$ 1.871,35 a onça-troy, valorização de 2,57% do fechamento de ontem.

O ouro avançou mais de US$ 100,00 esta semana, sustentado ainda por fortes fluxo de investimentos nos fundos ETF. Os ativos do maior fundo ETF do mundo lastreado em ouro, o SPDR Gold Trust, chegaram a 1.286,80 toneladas, de 1.260,20 toneladas no início da semana.

A Associação de Fundos Mútuos da Índia disse hoje que os ativos dos fundos ETFs do país, maior consumidor mundial de ouro, triplicaram em julho em consequência do aumento da demanda por investimento nesses fundos. No final de julho, o ouro à vista na Índia registrava valorização de 30% em relação ao mesmo mês do ano passado.

“Embora a alta recente do ouro sugira a formação de bolha para alguns no mercado, os incentivos para a compra do ouro, em vez de ações ou outras commodities, permanecem, já que a aversão ao risco continuará enquanto os líderes mundiais demonstrarem que não sabem como estimular a recuperação econômica”, disse o analista do FastMarkets, James Moore.

O interesse de compra quando o preço do ouro cede é muito forte e, diante do aumento das preocupações com a dívida da zona do euro e dos Estados Unidos, o metal deverá seguir subindo nas próximas sessões, acrescentou Moore.

Moore ponderou, entretanto, que o superar a marca de US$ 1.850,00 a onça-troy hoje, é provável que haja pausa no movimento, com alguma realização de lucro e ajuste de carteiras antes do final de semana. As informações são da Dow Jones.