Ouro cai em NY com menor aversão a risco e alta do dólar

A percepção de que o conflito no Oriente Médio permanecerá localizado contribuiu para a menor demanda por ativos seguros

São Paulo – O ouro devolveu nesta quarta-feira, 24, os ganhos registrados ontem, depois que dados positivos da economia americana reduziram a aversão a risco, ao mesmo tempo que a alta do dólar minimizou a atratividade do metal.

A percepção de que o conflito no Oriente Médio permanecerá localizado também contribuiu para a menor demanda por ativos seguros.

Na Comex, a divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o contrato mais negociado, para dezembro, fechou em queda de 0,2%, a US$ 1.219,50 por onça-troy.

A prata para o mesmo mês teve desvalorização de 0,4% para US$ 17,702 por onça-troy, o menor fechamento desde 29 de julho de 2010.

Nesta manhã, o Departamento de Comércio dos EUA informou que as vendas de moradias novas nos EUA subiram 18% entre julho e agosto, para uma taxa anual de 504 mil unidades, o melhor resultado desde maio de 2008.

Os números surpreenderam os analistas, que esperavam um crescimento bem mais modesto, de 3,4%, para 426 mil unidades.

Os dados devem esquentar as discussões ao redor do melhor momento para que o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) eleve suas taxas de juros.

“A combinação de estimativas de taxa de juros mais altas e de um dólar valorizado criou um forte vento contrário para o ouro”, escreveu Bart Melek, estrategista do TD Bank, em relatório a clientes.

“A situação para o ouro e prata pode ficar consideravelmente pior antes de ficar melhor.”

Com informações da Dow Jones Newswires.