Ouro acumula perda de 0,94% na semana

O contrato de ouro mais negociado, com entrega para dezembro, ganhou US$ 0,90, e fechou a US$ 1.714,70 a onça-troy

São Paulo – Os contratos futuros de ouro negociados na Comex, a divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), fecharam em leve alta nesta sexta-feira, mas tiveram queda na semana, com os receios sobre a demanda pelo metal ofuscando seu status de “porto seguro”, que poderia ter impulsionado os preços em meio aos receios com o “abismo fiscal” nos EUA e a situação da Grécia.

O contrato de ouro mais negociado, com entrega para dezembro, ganhou US$ 0,90 (0,05%), e fechou a US$ 1.714,70 a onça-troy. No acumulado da semana, entretanto, o metal teve queda de 0,94%.

Na quinta-feira, o Conselho Mundial do Ouro divulgou que a demanda global pelo metal caiu 11% no terceiro trimestre deste ano, na comparação com o mesmo período do ano passado. Segundo o órgão, a queda se deve à desaceleração na China, ao frágil crescimento global e à falta de inflação. O metal geralmente é comprado por investidores como uma proteção contra desvalorizações de moedas.

“Eu diria que a maior influência nos preços do ouro agora é a incerteza sobre o abismo fiscal”, comenta Ben Traynor, economista-chefe da BullionVault. Os líderes do Congresso dos EUA saíram de uma reunião hoje com o presidente do país, Barack Obama, classificando como “construtivas” as conversas sobre como evitar o “abismo fiscal” – uma série de cortes de gastos e aumentos de impostos automáticos programada para entrar em vigor no começo do ano que vem e que pode fazer a economia entrar em recessão.

Para Fawad Razaqzada, analista técnico da GFT Markets, por enquanto o ouro e a prata “estão sendo pressionados pelos receios com o crescimento global, após a divulgação de vários indicadores decepcionantes esta semana”. As informações são da Dow Jones.