Oi pagará prêmio de até 35% a minoritários por ações da Brasil Telecom

Serão realizadas ofertas de recompra de ações ordinárias e preferenciais, mas para analista, somente quando se souber a data da operação será possível avaliar se vale a pena aderir

Para viabilizar o nascimento da chamada supertele, a Oi (ex-Telemar) vai oferecer aos acionistas minoritários da Brasil Telecom um prêmio de 11,5% a 35,8% pelos papéis da companhia sobre o fechamento desta quinta-feira (24/4). A operação de compra da Brasil Telecom, anunciada nesta sexta-feira (25/4) após meses de negociações, beneficiará não só os detentores de ações ordinárias da empresa, mas também os preferencialistas.

Serão realizadas ofertas para recompra tanto das ações ordinárias (BRTP3 e BRTO3) quanto das preferenciais (BRTP4 e BRTO4) da Brasil Telecom. O maior prêmio será concedido às ações ordinárias da Brasil Telecom Participações (BRTO3). Veja na tabela abaixo.

  BRTP3 BRTP4 BRTO3 BRTO4
Cotação em
24/04/08 (R$)
50,12 27,32 40,00 20,94
Oferta da Oi (R$) 57,85 30,47 54,31 23,42
Prêmio (%) 15,42 11,53 35,78 11,84

As datas para adesão às ofertas públicas de aquisição (OPAs), assim como as demais condições da operação, serão divulgadas futuramente pela Oi, após a obtenção do registro das ofertas junto à Comissão de Valores Imobiliários (CVM). “Como não sabemos ainda quanto tempo levará até que essas ofertas aconteçam, fica difícil dizer se é ou não um bom negócio. Há envolvido aí um custo de oportunidade, que cresce conforme o tempo passa. Por isso, quanto mais demorar para as ofertas saírem, menos atrativas elas serão”, explica um analista que prefere não se identificar.

No caso das ações preferenciais, a Oi limitará sua oferta a um terço dos papéis em circulação. Isso quer dizer que a liquidez do papel será reduzida em 33% após o encerramento da OPA – o que deve incentivar os investidores a aderir à oferta. Ficar com os papéis em mãos, no entanto, não será sinônimo de mico, segundo o analista. Pelo contrário, na visão dele, vale a pena manter a ação em carteira no longo prazo. “As perspectivas para a supertele são muito boas. A empresa será uma das mais fortes do mundo em telecomunicações, com forte influência no governo e enorme poder de barganha”, afirma.

Após o encerramento das OPAs, a Oi pretende realizar uma reestruturação societária, unificando todas as ações em uma só. A proporção de troca das ações (veja abaixo) é considerada justa pelo analista.

Saiba mais sobre as ações na Central do Investidor