OGX e Vale sustentam alta da Bovespa na abertura

Os investidores aguardam o depoimento do presidente do Federal Reserve, Ben Bernanke, logo mais, no Congresso norte-americano

São Paulo – A Bovespa abriu em ligeira alta, acompanhando os índices acionários das Bolsas de Nova York e sustentada pela valorização de Vale e OGX. Petrobras, porém, limita os ganhos.

Os investidores aguardam o depoimento do presidente do Federal Reserve, Ben Bernanke, logo mais, no Congresso norte-americano. A expectativa é por sinais sobre a possível redução do programa de compra de ativos da autoridade monetária dos Estados Unidos.

Às 10h22, o Ibovespa subia 0,22%, aos 56.420,08 pontos. Na máxima pontuação do dia, teve alta de 0,40%, aos 56.488 pontos. Na mínima, teve leve queda de 0,01%, aos 56.262 pontos.

OGX ON, na quarta posição do ranking de maiores altas do Ibovespa, subia 2,30%. Vale ON subia 0,21% e PNA, +0,29%. Já Petrobras tinha quedas de 0,77% na ação ON e 0,59% na PN. Em Nova York, pouco antes da abertura, o futuro do S&P 500 subia 0,22%.

O presidente do Fed depõe ao Comitê Econômico Conjunto do Congresso sobre “A Perspectiva Econômica” às 11 horas (horário de Brasília). No mesmo horário, será conhecido o resultado das vendas de moradias usadas em abril (média anualizada).

“Esse discurso é amplamente aguardado pelos investidores em função do debate intenso entre os membros do Fomc (Comitê Federal de Mercado Aberto) que se estabeleceu nas últimas semanas.

Ficou claro que o Comitê está dividido quanto aos rumos do QE3 (sigla em inglês para a terceira rodada de relaxamento monetário)”, lembrou a LCA Consultores. Em nota a clientes, a equipe previu que Bernanke “defenderá uma posição mais flexível do Fed que poderá aumentar ou diminuir suas compras conforme o ritmo da economia”.

Às 13h30, saem dados de estoques semanais de petróleo apurados pelo Departamento de Energia (DoE). E, às 15 horas, a ata da última reunião de política monetária do Fomc.

De volta ao Brasil, a presidente da Petrobras, Graças Foster, é convidada da reunião conjunta das comissões de Minas e Energia, Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado e de Trabalho e de Desenvolvimento Econômico da Câmara dos Deputados. O início estava marcado para as 9h30 e a intenção era debater o desempenho da estatal petrolífera.