NY abre no vermelho com intransigência da Alemanha

Nova York – A posição intransigente da Alemanha em relação ao socorro aos países em perigo da zona do euro era o sinal amarelo que faltava para as bolsas nova-iorquinas abrirem em queda. Às 12h33 (de Brasília), o índice Dow Jones perdia 0,43%, o S&P caía 0,58% e o Nasdaq tinha queda de 0,65%.

Esta é uma semana crucial para o futuro daquela região e esperava-se pelo anúncio de propostas firmes para estruturar melhor a situação fiscal europeia na reunião de cúpula da próxima sexta-feira. Mas a Alemanha já descartou uma ajuda do Fundo Monetário Internacional (FMI) à zona do euro. E também negou que o Mecanismo de Estabilidade Europeu (ESM), fundo de resgate permanente da zona do euro, e a Linha de Estabilidade Financeira Europeia (EFSF, na sigla em inglês) irão operar simultaneamente.

Na agenda dos Estados Unidos, destaque para os dados sobre o crédito ao consumidor, que saem hoje, às 18h (de Brasília), e o foco segue na Europa.

As ações da AMR Corp, que na semana passada entrou com pedido de concordata, disparavam 24,29%, às 12h33. A companhia disse ontem que está remanejando várias posições de gerenciamento e irá indicar em breve um novo executivo-chefe para reestruturar a empresa.

As ações da US Airways caíam 0,19%, após a Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata, na sigla em inglês) ter cortado nesta quarta-feira sua previsão para lucro das companhias aéreas no ano que vem, por causa do risco de recessão na Europa e da redução no crescimento econômico global.