Nobel mostra gerentes predestinados a perder para índice

O trabalho forneceu o fundamento intelectual para os fundos monitorados por índices, que desbancam até os gerentes mais ativos

Boston – O trabalho que valeu a Eugene Fama o Prêmio Nobel em Economia forneceu o fundamento intelectual para os fundos monitorados por índices, que transformaram a seleção de ações quando os investidores abandonaram gerentes financeiros ativos.

Fama, 74, argumentou que os mercados financeiros são eficientes e que os movimentos nos preços das ações são imprevisíveis, fazendo com que seja impossível até mesmo para gerentes financeiros profissionais ganhar uma vantagem.

Sua conclusão de que os investidores estariam melhor em fundos de baixo custo que monitoram o desempenho do mercado ajuda a explicar o sucesso da Vanguard Group Inc., a maior empresa de fundos mútuos dos EUA, bem como o aumento de investimentos passivos, que tiveram mais de US$ 2,6 trilhões em ativos nos EUA entre fundos negociados em bolsa e fundos mútuos até o final de 2012.

“Seu trabalho foi fértil”, disse F. William McNabb III, CEO da Vanguard, ontem, em uma entrevista a Tom Keene e Sara Eisen no “Bloomberg Surveillance”, da Rádio Bloomberg. “Muito do que fizemos é baseado neste trabalho”.

Os fundos que imitam o desempenho dos mercados ganharam impulso após 2008, quando o índice Standard Poor’s 500 caiu 37 por cento e os investidores perderam a fé na capacidade dos selecionadores de ações de protegê-los de prejuízos.

Ao longo dos últimos cinco anos, os fundos de índices vêm sendo a escolha mais popular dos investidores, com os bens em fundos de índices, também conhecidos pela sigla em inglês ETF, de Exchange Traded Funds, nos EUA quase triplicando no período.

Os investidores retiraram cerca de US$ 284 bilhões de fundos mútuos administrados ativamente e verteram US$ 243 bilhões em índices de ações de fundos mútuos desde o final de 2008, mostram dados da Morningstar Inc.


“Os fundos de índice passaram de ser uma ideia marginal maluca para um ponto em que são vistos, agora, como a opção de investimento padrão para muitas pessoas”, disse Russel Kinnel, diretor de pesquisa de fundos mútuos da Morningstar, com sede em Chicago, em uma entrevista por telefone.

“É provável que a tendência se mantenha até que vejamos um mercado no qual a seleção individual de ações é recompensada”, disse Geoff Bobroff, consultor de fundos mútuos de East Greenwich, Rhode Island, em uma entrevista por telefone.

Dossiê de Buffett

O sucesso do investimento de Warren Buffett, presidente da Berkshire Hathaway Inc., ao longo de décadas é frequentemente usado pelos críticos de mercados eficientes para mostrar que é possível superar os índices.

Do final de 1976 a junho de 2013, as ações da Berkshire subiram 23 por cento ao ano em comparação com os 11 por cento do índice S&P 500. Fama, em uma entrevista em 2012, disse que considerava Buffett mais um homem de negócios do que um investidor.

“Eu não sei se Warren Buffett é apenas sortudo ou hábil”, disse Fama na entrevista, publicada no site da Dimensional Fund Advisors LP, onde ele é membro do conselho e consultor.

A popularidade da indexação cresceu firmemente ao longo da última década. No final de 2012, os fundos mútuos de índice responderam por 15 por cento dos ativos nos fundos de ações e bônus dos EUA, acima dos 9,6 por cento no final de 2003, mostram dados da Morningstar.

Entre os fundos de ações, os fundos de índice representaram 21 por cento dos ativos até 31 de dezembro de 2012; entre os fundos de bônus, eles representaram 9,1 por cento dos ativos.

Os ativos de ETF nos EUA quase triplicaram desde o final de 2008, para US$ 1,5 trilhão, segundo dados do Investment Company Institute, uma associação do setor com sede em Washington. A maioria dos ETFs dos EUA está em produtos indexados. Ao contrário dos fundos mútuos, os ETFs podem ser negociados durante todo o dia como ações.