Mundial convoca acionistas para autorizar ingresso no Novo Mercado

Conversão da totalidade de ações preferenciais em ordinária será feita na proporção 1 para 0,8

São Paulo – A Mundial (MNDL4), que atua no segmento de produtos de beleza, cozinha e de bombas para movimentação de água, está convocando os acionistas da companhia para aprovarem a entrada da empresa no Novo Mercado, o nível mais elevado de governança corporativa da BM&FBovespa.

Em comunicado enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a companhia explica que os acionistas irão deliberar durante assembleia geral extraordinária, prevista para ocorrer no dia 27 de julho, não apenas o ingresso ao Novo Mercado, mas também a conversão da totalidade das ações preferenciais em ações ordinárias, na proporção de uma para 0,8.

Os acionistas vão ainda deliberar a reforma no estatuto social da companhia, com o objetivo de refletir a conversão da totalidade das ações preferenciais e a adesão ao Novo Mercado da BM&FBovespa.

Histórico

A Mundial decidiu ir ao Novo Mercado após analisar as exigências da adesão ao Nível 1, que já tinha sido aprovada pelo conselho de administração da companhia em 27 de maio deste ano.

A companhia entende que “deve avançar ainda mais no fortalecimento de suas práticas de governança corporativa e no relacionamento com o mercado de capitais com objetivo de manter seu crescimento, sustentação e a perpetuidade dos negócios e das atividades”, segundo comunicado divulgado em 29 de junho e assinado por Michael Lenn Ceitlin, diretor de relações com investidores e presidente da Mundial.

A fabricante de alicates de unha, pinças e tesouras disse esperar que a migração eleve a atratividade junto aos investidores e amplie a liquidez das ações. Anteriormente, em 30 de maio, a empresa desdobrou as ações na proporção de seis para uma. Além da marca Mundial, a empresa detém a Impala e a Hércules.