Morgan Stanley lista as ações que ganham com juros mais baixos

Papéis voltados para o mercado doméstico, especialmente com maior alavancagem e necessidades de financiamento devem se beneficiar, escreveram estrategistas

Os investidores que buscam tirar proveito de uma esperada redução na taxa básica de juros no Brasil devem ficar de olho nas empresas que são mais sensíveis à economia doméstica, segundo o Morgan Stanley.

“No curto prazo, o começo de um novo ciclo de flexibilização monetária deve beneficiar as ações voltadas para o mercado doméstico, especialmente empresas com maior alavancagem financeira e necessidades de financiamento em geral”, escreveram estrategistas do Morgan Stanley, liderados por Guilherme Paiva, em relatório de 29 de julho.

Oi, Marfrig, Light, Cyrela e CVC são os papéis que mais devem se beneficiar da queda de juro, segundo o Morgan Stanley. Os estrategistas do banco também citam Cemig, Atento, BRF, GPA, AES Tietê, JBS, Iguatemi, Anima, Lojas Marisa e Iochpe Maxion como potenciais ganhadores.

O Banco Central deve iniciar um novo ciclo de corte de juros nesta quarta-feira, com o avanço da reforma da Previdência no Congresso, o cenário benigno para inflação e a atividade econômica mais fraca do que o esperado levando os economistas a projetarem uma queda da taxa Selic para abaixo dos atuais 6,50%. A Selic deve encerrar o ano a 5,50%, segundo pesquisa semanal Focus.

A perspectiva de juro em queda tem sustentado o otimismo de estrategistas de ações com a bolsa brasileira, em meio a expectativas de que o fluxo para fundos multimercados e de ações deve acelerar. O Morgan Stanley acredita que o Ibovespa deve chegar a 120.000 pontos — cenário otimista do banco — em meados de 2020, de acordo com Paiva.