Moody’s considera Grécia em ‘default’

A Moody's informou que poderá revisar a classificação no futuro, dependendo do comportamento das finanças gregas

Nova York – A agência de classificação de risco Moody’s declarou nesta sexta-feira considerar a Grécia em default, após o acordo fechado na véspera com credores privados que perdoarão 107 bilhões de euros (140 bilhões de dólares) de sua dívida.

A Moody’s salientou que apesar de 85,8% dos detentores de títulos regidos pela lei grega terem assinado o acordo, as cláusulas de ação coletiva que Atenas aplica a seus papéis forçará os credores restantes a participar.

De forma geral, o custo para os detentores dos títulos, baseado no valor líquido atual da dívida, será de ao menos 70%, informou a Moody’s.

“De acordo com as definições da Moody’s, essa reestruturação representa uma ‘renegociação em dificuldades’ e, portanto, um default”, afirmou a empresa sediada nos Estados Unidos.

“A renegociação aponta para um volume financeiro reduzido em relação ao original”.

Mas a agência lembra que a reestruturação “tem o efeito de permitir que a Grécia evite o default total no futuro”.

Após o acordo, a Moody’s já tinha reduzido a nota da Grécia para seu nível mais baixo, “C” e, portanto, não houve impacto na nota.

A Moody’s informou que poderá revisar a classificação no futuro, dependendo do comportamento das finanças gregas.

No entanto, acrescentou, no início de março “a Moody’s afirmou que o risco de default, mesmo depois de uma renegociação da dívida, permanece alto”.