Moody’s: acordo sobre dívida na zona euro é positivo e caro

Segundo a agência, o acordo permitirá "reduzir os riscos a longo prazo" na região, mas a um custo elevado para os países mais ricos

Washington – A agência de classificação de risco financeiro Moody’s estimou nesta quinta-feira que o acordo fechado no final de junho pelos dirigentes da zona do euro permitirá “reduzir os riscos a longo prazo” na região, mas a um custo elevado para os países mais ricos.

“As medidas contidas no comunicado dos dirigentes da zona do euro vão reduzir os riscos a curto prazo de fuga de capitais e de bloqueio ao acesso aos mercados de crédito”, destacou a agência.

“Este comunicado confirma que os dirigentes políticos têm vontade de adotar as medidas necessárias para evitar um cenário grave e profundamente perigoso para a dívida…”.

Reunidos no final de junho, em Bruxelas, os dirigentes da zona do euro fecharam um acordo que prevê, entre outras medidas, reforçar os fundos de socorro regionais, o Fundo Europeu de Estabilidade Financeira e o Mecanismo Europeu de Estabilidade, com o objetivo de apoiar países em dificuldades.

Mas a Moody’s observa que “os progressos para uma maior integração política e orçamentária se dão a um preço muito elevado, já que os países da zona do euro que de fato sustentam os demais conhecerão, eventualmente, o aumento de seu endividamento, o que debilitará a qualidade de seu crédito”.