Minerva supera JBS e Marfrig em desempenho no mercado de dívida

O sucesso da empresa em reduzir a dívida e aumentar a produção está ajudando a companhia a resistir mais que suas concorrentes à fuga dos papéis

Nova York e São Paulo – O sucesso da Minerva SA em reduzir dívida e aumentar a produção está ajudando a empresa a resistir mais do que suas concorrentes de maior porte, JBS SA e Marfrig Alimentos SA à fuga dos papéis considerados “junk bonds” de companhias brasileiras.

O rendimento dos papéis em dólar da Minerva com vencimento em 2019 subiu 99 pontos-base desde o começo de agosto, menos da metade do que a alta de 186 pontos-base de títulos da JBS, maior produtora mundial de carne, com prazo similar. No mesmo período, a taxa das notas da Marfrig deram um salto de 293 pontos-base, segundo dados compilados pela Bloomberg.

O rendimento médio global dos títulos de dívida de empresas de alimentos, bebidas e cigarros com nota inferior à de “grau de investimento” subiu 99 pontos-base, ou 0,99 ponto percentual no mesmo período, segundo dados do Bank of America Corp. No mercado de dívida, o aumento do rendimento significa que o valor de mercado do título caiu.

Os papéis da Minerva, cuja nota B pela Standard & Poor’s Ratings Services é cinco níveis abaixo do grau de investimento, estão tendo um desempenho melhor do que suas concorrentes em uma indústria que vem apanhando por conta do desaquecimento da economia mundial e de vetos à importação de carne pela Rússia. A venda de R$ 190 milhões em títulos conversíveis em julho reduziu a relação entre dívida líquida e os resultados em quase 40 por cento no segundo trimestre, em relação ao mesmo período dois anos atrás.

“O que provoca esse melhor desempenho é a desalavancagem somada a operações mais eficientes”, disse Ivan Fernandes, analista de crédito do Barclays Plc em entrevista por telefone, de Nova York. “A Minerva fez um ótimo trabalho sendo conservadora em seu balanço.”

Rendimento

Os títulos da Minerva rendem 10 por cento, ou 703 pontos- base, a mais do que a dívida do governo brasileiro e 417 pontos a mais do que papéis com vencimento em 2018 emitidos pela Tyson Foods Inc., maior produtora de carne dos Estados Unidos, de acordo com dados compilados pela Bloomberg. Os papéis da Minerva pagam 45 pontos-base a menos do que a dívida da JBS que tem classificação de risco três níveis superior na escala da S&P.

O rendimento médio da dívida global de classificação especulativa deu um salto de 103 pontos-base desde o começo de agosto para 8,57 por cento, já que o crescimento mais lento dos EUA até a Europa limitou a demanda por ativos mais arriscados, segundo o Bank of America. Relatório divulgado nos EUA na semana passada mostrou que o crescimento do emprego estagnou em agosto, reforçando as evidências de que a maior economia do mundo está desacelerando. O Citigroup Inc. cortou ontem sua projeção para o crescimento econômico global em 2011 de 3,7 por cento para 3,1 por cento. Em 18 de agosto, o Morgan Stanley reduziu sua estimativa de 4,2 por cento para 3,9 por cento.


A Rússia, maior mercado de exportação para a carne bovina brasileira, fechou as fronteiras para o produto de cerca de 80 abatedouros do Brasil em 15 de junho. O veto atingiu operações da Marfrig, da JBS e da BRF – Brasil Foods SA, a maior exportadora mundial de carne de aves. A Minerva escapou do veto.

A Minerva, terceira maior processadora de carne num país que tem o maior rebanho comercial do mundo, reduziu a proporção entre a dívida líquida e o lucro para 3,8 vezes no segundo trimestre, com o aumento da capacidade de produção e a emissão de debêntures conversíveis. Dois anos antes, a taxa estava em 6,6 vezes. A produção das unidades da Minerva aumentou para 77 por cento no segundo trimestre, de 72,5 por cento nos primeiros três meses do ano. A empresa vendeu R$ 190 milhões em títulos conversíveis em julho.

O diretor financeiro da Minerva, Edison Ticle, disse que os esforços de redução de dívida estão por trás do desempenho superior da empresa no mercado de títulos.

‘Desalavancagem’

“Uma palavra – desalavancagem”, disse Ticle em entrevista em 31 de agosto em São Paulo.“Reduzimos a relação entre dívida e Ebitda porque aumentamos a utilização da capacidade de nossas plantas e usamos menos caixa em comparação aos nossos principais concorrentes.”

Um representante da Marfrig em São Paulo se recusou a fazer comentários para esta reportagem. Um porta-voz da JBS em São Paulo, que pediu para não ser identificado em obediência à política interna, também se recusou a fazer comentários.

A Minerva, com sede em Barretos, não deve continuar com performance melhor que a de JBS e Marfrig no mercado de títulos, disse Jansen Moura, analista de papéis corporativos da BCP Securities no Rio de Janeiro. O tamanho menor da Minerva e sua maior dependência das vendas de carne bovina farão a empresa ficar mais vulnerável à desaceleração global, disse Moura. Carnes de frango e de porco respondem por 31 por cento das receitas da JBS e por 59 por cento das da Marfrig.