Mesmo sem fundamentos, GOL pode subir na bolsa

Citi acredita que a queda recente pode abrir espaço para alta em momentos de especulação

São Paulo – As ações da GOL (GOLL4) terão uma chance de respirar. Pelo menos é o que acreditam os analistas da Citi Corretora, que embora ainda não acreditem muito no potencial da empresa, esperam alguma alta para os papéis.

Em relatório distribuído para clientes, os analistas Fernando Siqueira e Hugo Rosa aumentaram a recomendação do papel para ‘neutro’ e mudaram o preço-alvo estimado para os ADRs (American Depositary Receipt) de 5,50 dólares para 6 dólares, aproximadamente 10,62 reais por ação preferencial, um potencial de valorização de 4,43%.

“Não queremos dar aos investidores a ideia de que estamos repentinamente atraídos pela história. Continuamos vendo diversos obstáculos para a GOL”, afirmam os analistas. Segundo eles, como as ações vêm caindo muito e operam agora perto das mínimas, eles acreditam que qualquer especulação pode dar alguma alta pontual para o papel.

“Com as ações próximas das mínimas, vemos um risco mais alto de que eventos pouco relevantes, como notícias sem fundamentos, proporcionem suporte para a performance das ações da GOL”.

A notícia mais recente foi a possibilidade de desmembrar o programa de fidelidade Smiles e fazer uma oferta pública de ações (IPO) da empresa, que concorreria na bolsa com a Multiplus, da TAM. A empresa já confirmou que estuda essa possibilidade e, se a operação realmente ocorrer, “pode, de fato, representar um evento positivo para os fundamentos”, afirmam os analistas.

Independentemente disso, eles alertam que a empresa ainda corre diversos riscos, como a fraca curva da demanda, uma possível guerra de preços no segundo semestre, e o aumento dos custos de financiamentos, vindo com os rebaixamentos de agências de classificação de risco e do câmbio.