Mercados europeus têm dia volátil de olho no G7

A crise da zona do euro está no topo da agenda da teleconferência do grupo dos sete

Londres – Os mercados de ações da Europa caíam mais na manhã de terça-feira em um pregão volátil, com investidores colocando na balança as perspectivas incertas de medidas de estímulo do G7 e as preocupações com a crise da zona do euro.

Os problemas da Espanha voltaram à superfície após o ministro do Tesouro, Cristóbal Montoro, dizer que a quarta maior economia da zona do euro estava fora dos mercados de crédito. A crise da zona do euro está no topo da agenda da teleconferência marcada para as 8h (horário de Brasília) entre os chefes de Finanças do grupo das sete principais nações industrializadas, o G7, apesar de estrategistas terem alertado contra expectativas de quaisquer ações concretas.

“Não vemos nada além de desapontamento toda vez que o G7 se reúne. A agenda é forçar a Europa a fazer alguma coisa, mas eu acho que ainda é pouco provável que haverá algo concreto saindo da reunião além de boas intenções”, disse o economista chefe do Saxo Bank, Steen Jakobsen.

Às 8h20 (horário de Brasília), o índice Euro STOXX 50 caía 0,32 por cento com 2.072 pontos, devolvendo os ganhos anteriores em uma sessão volátil e com volumes menores devido ao segundo dia de feriado na Grã-Bretanha.

O índice FTSEUROFIRST 300, que reúne as principais bolsas europeias, tinha variação positiva de 0,11 por cento, com 951 pontos, às 8h23.