Menor risco de vaca louca pode recuperar ações da Minerva

Preocupações de que o Brasil, maior exportador mundial de carne depois dos Estados Unidos, possa ter um surto da doença estão diminuindo

São Paulo – A Minerva SA, que teve o pior desempenho global entre as maiores produtoras de carne nesta semana, está prestes a se recuperar com apostas de que um caso isolado de vaca louca no Sul do Brasil não vá afetar as exportações da companhia.

O Bank of America Corp. reiterou a recomendação de compra para os papéis em 10 de dezembro, três dias depois de o País relatar que uma vaca que havia morrido em 2010 tinha a proteína causadora da vaca louca, sem ter desenvolvido a doença.

Banco Bradesco SA e Itaú Unibanco Holding SA também disseram nesta semana que a venda de ações de frigoríficos brasileiros estava sendo excessiva.

Preocupações de que o Brasil, maior exportador mundial de carne depois dos Estados Unidos, possa ter um surto da doença estão diminuindo e as interrupções de compra do Japão e África do Sul provavelmente terão vida curta, disse Hegler Horta, da Kapitalo Investimentos. O estado do Paraná, onde o caso foi descoberto, responde por menos de 3 por cento da produção brasileira de carne.

“O mercado teve uma reação exagerada”, disse Horta, que ajuda a administrar US$ 125 milhões em ações, inclusive da Minerva, na Kapitalo, sobre a queda de 11 por cento nas ações nos quatro dias que sucederam a notícia do caso de vaca louca. “O Japão embargou as importações, mas é um mercado irrelevante em termos de carne para o Brasil.”