Marfrig tem maior alta em 18 meses com Ebitda maior que previsto

Resultado foi duas vezes maior do que o esperado e impulsionou a alta de 14% das ações

São Paulo – A Marfrig Alimentos SA, segundo maior frigorífico da América Latina, teve a maior alta em dois anos e meio depois que o Ebitda do terceiro trimestre foi duas vezes maior que o esperado pelos analistas.

A Marfrig subia 14 por cento às 13:33, para R$ 7,17. A ação perdeu 59 por cento este ano até ontem, terceiro pior desempenho entre os 68 papéis que compõem o Ibovespa, que caiu 17 por cento no período.

O lucro da Marfrig antes de juros, impostos, depreciações e amortizações, conhecido como Ebitda, mais que dobrou no terceiro trimestre, para R$ 637,5 milhões, em relação ao ano passado, disse a empresa hoje em comunicado. A estimativa média obtida em pesquisa Bloomberg com nove analistas era de um Ebitda de R$ 311,4 milhões.

O aumento ajudou a superar a preocupação com o prejuízo líquido de R$ 540 milhões por conta de uma despesa financeira de R$ 1,36 bilhão — alta de mais de seis vezes em relação ao mesmo trimestre de 2010 — depois que o real enfraquecido impulsionou a dívida da empresa em moeda estrangeira.

“O papel está reagindo bem porque o Ebitda veio bem mais forte”, disse Cauê Pinheiro, analista da SLW Corretora. “Veio com um prejuízo forte, mas a maior parte é de um efeito não caixa por conta da variação de passivos em dólar.”

A Marfrig tem 79 por cento de sua dívida denominada em moeda estrangeira, segundo o comunicado. O real perdeu 17 por cento em relação ao dólar no terceiro trimestre, a maior queda entre as 16 moedas mais negociadas acompanhadas pela Bloomberg.