Mantega vê desespero da Suíça em ação sobre câmbio

O ministro classificou a medida como um ato de desespero. "Eles estão desesperados. Não precisamos disso no Brasil"

São Paulo – O ministro da Fazenda, Guido Mantega, prevê que a medida adotada hoje pelo Banco Nacional da Suíça para conter a valorização do franco suíço pode levar a ataques especulativos. “Cada país tem suas necessidades. É preciso ver se a Suíça tem condições de bancar os ataques especulativos. Não sei se a Suíça tem recursos para isso”, afirmou Mantega ao chegar nesta tarde ao Ministério da Fazenda, em Brasília. Ele lembrou que o banco central suíço terá de comprar toda a oferta do dia.

O ministro classificou a medida como um ato de desespero. “Eles estão desesperados. Não precisamos disso no Brasil. Considero melhor o câmbio flutuante. Já tivemos câmbio fixo no passado e não fomos bem-sucedidos”, afirmou. Mantega disse ainda que é preciso esperar para verificar se a ação do banco central suíço dará resultado. “Claro que no curto prazo terá resultados, mas é preciso ver no médio prazo se resolve a situação deles. Não é um modelo que serviria para o Brasil”, declarou o ministro.

O Banco Nacional da Suíça (SNB, banco central) adotou hoje uma medida para se defender da valorização excessiva do franco suíço anunciando a introdução de um piso na cotação, de 1,2 franco para cada euro. “A atual sobrevalorização exagerada do franco suíço representa uma grave ameaça para a economia suíça e traz o risco de um desenvolvimento deflacionário”, disse o banco central em um comunicado. “O SNB está, por conseguinte, buscando um enfraquecimento do franco suíço. Com efeito imediato, não vai mais tolerar um taxa de câmbio euro/franco abaixo da taxa mínima de 1,20 franco.” O SNB disse que vai impor essa taxa mínima “com a máxima determinação e está preparado para comprar moeda estrangeira em quantidades ilimitadas”.