Maioria das bolsas europeias sobe com dado dos EUA

Londres – Os principais índices do mercado de ações da Europa fecharam em alta hoje, após um resultado melhor que o esperado sobre atividade industrial dos Estados Unidos (EUA). Ainda assim houve temores sobre a possibilidade de uma estagnação na economia global, com um dado sobre a indústria mais fraco que o esperado na zona do euro. O índice pan-europeu Stoxx 600 subiu 1,50 ponto, ou 0,63%, chegando a 238,93 pontos.

A Bolsa de Londres subiu 0,45%, enquanto a de Paris avançou 0,28%. Milão teve alta de 0,69%, e Madri teve valorização de 0,49%. Em Frankfurt, houve queda de 0,94%, enquanto a Bolsa de Lisboa também recuou, fechando em baixa de 0,26%.

O índice de atividade industrial dos EUA, medido pelo Instituto para Gestão de Oferta (ISM), veio um pouco melhor que o esperado – queda para 50,6 em agosto, de 50,9 em julho, enquanto as estimativas dos economistas eram de 49,0. “Mesmo que os dados econômicos divulgados hoje não sejam nada para vibrar e ainda mostrem as manufaturas em um estado ruim, é um alívio para os investidores ver alguma luz no fim do túnel” após o dado dos EUA, afirmou a financeira Capital Spreads. Os operadores também quiseram evitar aumentar sua exposição antes da divulgação do relatório oficial de emprego dos EUA, amanhã.

O dado da atividade do setor de manufatura do Reino Unido caiu para o nível mais fraco em mais de dois anos em agosto. O índice dos gerentes de compra (PMI, na sigla em inglês) industrial do Reino Unido recuou para 49,0 em agosto, a mínima em 26 meses, em comparação com o dado revisado para cima de julho, de 49,4, em um sinal de uma economia estagnada.

Também pesou no mercado o desempenho negativo do leilão de títulos de cinco anos da Espanha. O Banco Central Europeu (BCE) comprou bônus do governo espanhol, após a operação.

Bancos

Os bancos do Reino Unido lideraram os ganhos, com expectativa de que grandes reformas domésticas no setor sejam retardadas. Royal Bank of Scotland Group disparou 8,2% e o Lloyds Banking Group subiu 6,2%, após reportagem do jornal Financial Times de que o governo dará aos bancos um prazo para depois de 2015 para cumprirem exigências de reestruturação.

Houve um dia de volatilidade em Frankfurt, com o medo da recessão pesando, segundo operadores. Companhias do setor público da Alemanha tiveram um desempenho ruim, com a RWE, e a E.ON, do setor de energia, caindo 2,7% e 2,2%, respectivamente. Ações cíclicas também tiveram resultados ruins, com a ThyssenKrupp caindo 2,4% e a Daimler fechando em baixa de 2,0%. As informações são da Dow Jones.