M. Dias Branco, Suzano e Taesa entram no MSCI América Latina

Ações da PDG, Oi, Dasa, Light e Eletropaulo foram excluídas do índice

São Paulo – A consultoria MSCI divulgou nesta quarta-feira a prévia da carteira teórica do índice MSCI para a América Latina. 

O índice, que serve de referência para muitos fundos estrangeiros, terá 8 inclusões (3 no Brasil, 1 na Colômbia e 4 no México) e 6 exclusões (5 no Brasil e 1 no México. As mudanças entram em vigor após o fechamento do mercado em 31 de maio.

No MSCI Brasil, as ações da M. Dias Branco (MDIA3), Suzano (SUZB5) e Taesa (TAEE11) foram incluídas. Já as cinco exclusões foram: PDG (PDGR3), Dasa (DASA3), Oi (OIBR3), Light (LIGT3) e Eletropaulo (ELPL4). Segundo dados da Bloomberg, o índice das ações brasileiras tem 30 bilhões de dólares em fundos passivos ao índice.

Além disso, as ações da JBS (JBSS3) e as units do Santander (SANB11) ganharam maior peso no índice – 0,21% e 0,3%, respectivamente.
No índice da América Latina, o destaque fica por conta da perda 0,57% de peso das ações da Ambev (AMBV4) e de 0,33% das ações da Vale (VALE5).

Reação

O mercado reagiu de forma positiva às três inclusões no índice MSCI Brasil. A M. Dias Branco terminou o dia com alta de 0,89%, mas na máxima do dia os papéis chegaram a subir 2,15%. As ações da Suzano chegaram a valorizar 1,54% no maior preço do dia, e terminaram o pregão com leve alta de 0,39%. No caso da Taesa, a alta foi mais expressiva: as ações, que chegaram a subir 5,5% no meio do dia, encerraram com alta de 4,5%.

Entre as excluídas do índice, apenas a Eletropaulo destoou e terminou o dia com as ações em alta. Na máxima do dia, os papéis chegaram a subir 6,54%. Para PDG (2,12%), Dasa (-1,43%), Oi (-4,01%) e Light (-0,75%) o dia foi de quedas.