Lucro do Burger King Brasil cai 65% no 1º trimestre

Rede de fast-food reportou lucro líquido de R$ 3,051 milhões no primeiro trimestre de 2019

São Paulo — O Burger King Brasil reportou lucro líquido de R$ 3,051 milhões no primeiro trimestre de 2019, resultado que representa queda de 65,4% em relação ao mesmo período de 2018. Excluindo os efeitos da norma contábil IFRS 16, o lucro líquido teria totalizado R$ 8,1 milhões, segundo o informe de resultados da companhia.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado dos primeiros três meses de 2019 disparou 136,4%, para R$ 86 milhões. Sem IFRS16, o Ebitda ajustado teria sido de R$ 52 milhões, apresentando um aumento de 42,4% em comparação ao primeiro trimestre de 2018.

No período, a receita líquida do BK Brasil atingiu R$ 665 milhões, alta de 37,9% na comparação anual. Ao final de março, o resultado financeiro estava negativo em R$ 12,582 milhões, revertendo saldo positivo apresentado em 31 de março de 2018, quando foi R$ 7,799 milhões.

O número de restaurantes Burger King no Brasil encerrou o primeiro trimestre de 2019 com 792 unidades, com 161 franqueados e 631 próprios. Na comparação com os três primeiros meses do ano passado, o Burger King abriu 83 restaurantes. As lojas da rede Popeyes também vêm crescendo e chegaram a 11 no final do trimestre.

Os pontos de venda de sobremesa, que incluem quiosques e as divisões dentro dos restaurantes (mas não conectados fisicamente ao balcão) chegaram a 358 no primeiro trimestre de 2019, aumento de 92 unidades se comparado ao mesmo período de 2019.

De acordo com a companhia, a performance dos restaurantes abertos nos últimos 12 meses contribuiu para o crescimento da receita operacional líquida do BK Brasil no trimestre, que aumentou 37,9% e foi a R$ 665 milhões.