Lucro da Kroton decepciona no segundo trimestre e ação cai 7%

Grupo educacional informou aumento das despesas após a aquisição do grupo Somos

As ações do maior grupo de educação privada do mundo Kroton chegaram a recuar 7% na manhã desta quarta-feira (14). A reação negativa já era esperada após a empresa divulgar, na véspera, um resultado financeiro fraco no segundo trimestre. O lucro líquido ajustado da companhia foi 44,2% menor frente ao mesmo período do ano passado, de 266,696 milhões.

Por volta das 11h, os papéis da companhia perdiam 7,05%, negociados a 11,99 reais cada.

O grupo anunciou uma receita líquida de R$ 1,7 bilhão, um crescimento de 14,2% contra o ano anterior. Já o o ticket médio evoluiu 6,7% no ensino presencial e 5% no ensino a distância.

“A Kroton reportou resultados decepcionantes, abaixo da expectativa do mercado, com receita abaixo do esperado, em função de maior evasão de alunos no período”, destacaram analistas da Guide Investimentos em relatório. Outro ponto negativo, segundo a nota, foi o aumento no custo do serviços prestados (professores, material e alugueis) e nas despesas com pessoal e administrativas.

“No segmento de educação básica os resultados seguem em evolução e esperamos os benefícios da estratégia adotada para 2020”, escreveu o time da Guide.

Os números da Kroton já não foram favoráveis no primeiro trimestre, quando o grupo reportou uma queda de 4,3% na receita líquida e de 34,2% no lucro líquido ajustado, após cortes sucessivos no Fies, o programa de financiamento estudantil do governo federal.

Segundo a Kroton, o resultado fraco foi impactado pelas despesas financeiras puxadas pela aquisição do grupo de educação básica Somos Educação no ano passado. A empresa é dona ona de escolas, cursinhos pré-vestibular e sistemas de ensino como Anglo, Sigma e Red Balloon.

Em 2018, a Kroton pagou 4,5 bilhões de reais à gestora de investimentos brasileira Tarpon por sua participação de 74% na Somos e mais 1,8 bilhão de reais ao GIC – o fundo soberano de Singapura – e aos demais minoritários em uma oferta pública para fechar o capital da empresa de educação básica.