Localiza sobe 7%; BNDES encolhe 46%…

Bolsa de olho em Meirelles

Depois de três quedas seguidas, o Ibovespa subiu 2,35% nesta terça-feira. A alta foi impulsionada pelo petróleo, que subiu 3%, e pelo noticiário político. Aumentam as especulações sobre o ministério da Fazenda em um eventual governo do vice-presidente Michel Temer. Segundo o noticiário, Temer estaria disposto a aceitar a exigência feita pelo ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles de ter autonomia para indicar o próximo presidente do BC. Meirelles é apontado como o nome preferido do mercado financeiro para ocupar a Fazenda. Em entrevista ao jornal O Globo, Temer se disse “muito bem impressionado” com a conversa que teve com Meirelles.

_

Localiza dispara

As ações da locadora de veículos Localiza subiram 7% nesta terça-feira após a companhia divulgar seu balanço. No primeiro trimestre deste ano, a empresa teve um lucro de 103 milhões de reais, uma alta de 2,7% na comparação anual. A receita subiu 4%, para 1,04 bilhão de reais. A previsão era que tanto o lucro quanto a receita da companhia encolhessem.

_

Esteves anima investidores

As units do banco BTG Pactual subiram 6% nesta terça-feira. Ontem à noite, o ministro do Supremo Tribunal Federal Teori Zavascki revogou a prisão do ex-controlador do banco, André Esteves. Com isso, Esteves pode voltar ao trabalho. Ele estava afastado da instituição desde que sua prisão havia sido decretada em novembro do ano passado. Apesar da alta de hoje, as units acumulam queda de 33% desde novembro, quando Esteves foi preso.

_

Investimentos caem

Os desembolsos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) no primeiro trimestre caíram 46% na comparação anual. O valor foi de 18 bilhões de reais, impactado pela economia em recessão e pela pouca confiança de empresários. Descontando a inflação, esse foi o pior resultado para o período desde 2006. Os setores mais afetados foram: infraestrutura (-51%), comércio e serviços (-51%), indústria (-48%) e agropecuária (-11%).

_

Cnova perde 219 mi

A empresa de varejo online Cnova, que opera os sites de Ponto Frio, Casas Bahia e Extra, elevou nesta terça-feira a estimativa de impacto relacionado a problemas contábeis encontrados em seus centros de distribuição no Brasil. O valor subiu de 177 milhões para 219 milhões de reais. Denúncias de que funcionários realizaram desvios de produtos dos centros de distribuição da Cnova levaram a uma investigação interna, anunciada pela empresa no final de dezembro.

_

Risco para os leilões

A redução de 51% no orçamento da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) põe em risco a realização de leilões de petróleo e gás no pós-sal. A declaração foi feita pela diretora-geral da agência, Magda Chambriard, em entrevista à Agência Estado. Com os dados exploratórios que possui, a ANP garante a realização da 14a rodada. Mas é possível que os cortes afetem os leilões que deveriam ocorrer no período de “três a cinco anos”. “Se não resolvermos isso, atrapalharemos um investimento já em curso”, afirmou Magda.

_

Arena rebatizada

O Corinthians está perto de fechar a negociação para a venda do nome de sua arena em Itaquera. Uma empresa do ramo financeiro, cujo nome é mantido em sigilo, deve pagar 300 milhões de reais por 20 anos, 100 milhões de reais a menos da meta traçada quando a arena foi construída. A escolha do nome será por votação popular. O anúncio oficial deve ser feito até a estreia do time no Campeonato Brasileiro, em 15 de maio, contra o Grêmio, segundo prevê a diretoria do clube.