LLX dispara 12% na semana

UBS mostra que empresa não depende da Ternium e ação sobe

São Paulo – Poucos minutos antes de terminar o pregão, o papel da LLX (LLXL3) vai se consolidando como a maior alta do Ibovespa nesta semana e já sobe mais de 12%. O dado não inclui apenas os papeis da TAM (TAMM4), que passaram por um ajuste de preço no leilão da oferta pública de aquisições (OPA) e subiram 18,91% nesta semana.

Um relatório do UBS foi o estopim para a disparada dos papéis. Nele, o analista Victor Mizusaki mostra que mesmo sem o projeto TX1, no superporto do Açu, a ação da empresa ainda teria potencial para subir 40%.

“O mercado ainda vê a LLX muito ligada à questão da Terium, mas nossa visão é que para analisar a empresa é preciso estudar três projetos diferentes”, disse o analista em entrevista para Exame.com.
No cenário “ideal”, ou seja, com todos os projetos bem executados dentro do cronograma, o papel poderia subir 200%.

O analista considera ainda a possibilidade de um quarto projeto. A empresa está negociando contratos de transporte de óleo que, se fechados, poderiam adicionar outros 2,30 reais no preço-alvo de 6,90 reais para as ações da empresa.