Juros futuros avançam com dólar e à espera de leilão do Tesouro

Às 9h48, a taxa do contrato de depósito interfinanceiro (DI) para janeiro de 2019 estava em 6,915%, de 6,905% no ajuste anterior

São Paulo – Os juros futuros operam em alta na manhã desta quinta-feira, 18, em sintonia com o ajuste positivo do dólar à vista e o avanço também dos juros dos Treasuries. Há expectativas com o leilão de títulos do Tesouro (11h30).

No período da manhã, o dólar mostra sinais mistos ante o real e no exterior. Lá fora, a moeda americana sobe ante divisas principais com investidores atentos à possibilidade de um acordo entre republicanos para estender temporariamente o teto da dívida dos Estados Unidos.

Por outro lado, as moedas ligadas a commodities sobem ante o dólar, após o crescimento acima do esperado do PIB da China no quarto trimestre, que teve expansão anual de 6,8%, acima da previsão de 6,7% de analistas.

Em todo o ano de 2017, a China cresceu 6,9%, acelerando o ritmo em relação ao avanço de 6,7% verificado em 2016. Foi a primeira vez que o PIB anual chinês ganhou força desde 2010.

Às 9h48, a taxa do contrato de depósito interfinanceiro (DI) para janeiro de 2019 estava em 6,915%, de 6,905% no ajuste anterior.

O DI para janeiro de 2020 exibia 8,10%, de 8,06%, enquanto o vencimento para janeiro de 2021 marcava 8,95%, de 8,91% no ajuste anterior.

O DI para janeiro de 2023 estava em 9,72%, de 9,68% no ajuste de quarta. No câmbio, o dólar à vista subia 0,23%, aos R$ 3,2204. O dólar futuro de fevereiro caía 0,09%, aos R$ 3,2270.

Em entrevista à rádio Metrópole, de Salvador (BA), o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou, mais cedo, que “é possível que a reforma da Previdência seja aprovada, trabalhamos nessa direção”.

Na manhã desta quinta, há uma reunião extraordinária do Conselho Monetário Nacional (CMN) de forma virtual. O Banco Central informou que vai comentar o resultado desse encontro, mas não mencionou o horário.

A Petrobras divulgou uma revisão de sua política de preços do GLP de uso residencial. O preço médio sem tributos nas refinarias será de R$ 23,16 por botijão de 13kg e os ajustes de preços do GLP serão trimestrais em vez de mensais.