JBS despenca e pressiona Ibovespa em dia sem viés claro

A bolsa trabalhava sem uma tendência clara nesta segunda, com ações da JBS recuando e papéis da Petrobras chegando a sustentar o índice no azul

São Paulo – A bolsa trabalhava sem uma tendência clara nesta segunda-feira, com movimentos específicos ditando o ritmo do principal índice do pregão, como as ações da JBS que recuavam mais de 10 por cento, dando um tom negativo para o mercado.

Os papéis da Petrobras, no centro de um escândalo de corrupção, chegaram a sustentar o índice no azul momentaneamente, em meio à manutenção das expectativas de mudanças na diretoria da estatal.

Mas o avanço arrefeceu após a presidente Dilma Rousseff indicar que não pensa em substituir o comando da empresa. Às 14h04 o Ibovespa caía 0,57 por cento, a 49.367 pontos, após recuar para a mínima de 49.104 pontos e avançar para 49.841 pontos, na máxima.

O volume financeiro estava em 2,1 bilhão de reais. “Os comentários de Dilma defendendo a presidente da Petrobras enfraqueceram as ações, o que pesou na bolsa, enquanto há alguns papéis específicos também prejudicando, como JBS”, disse o analista de renda variável Fabio Lemos, da São Paulo Investments.

Mas ele ponderou que está complicado fazer uma avaliação do mercado como um todo, porque muitos ativos estão sem liquidez.

“A bolsa está de lado”, afirmou. No caso de JBS, os papéis chegaram a despencar quase 18 por cento na mínima, com operadores citando reportagem do jornal Valor Econômico informando que a empresa creditou 800 mil reais em duas contas correntes de uma empresa fantasma investigada pela operação Lava Jato. A empresa divulgou comunicado em que refutou “veementemente” notícia associando a empresa com contas bancárias envolvidas na operação. Mas as ações ainda perdiam 8,7 por cento. Ainda no setor, a BRF recuava 1,44 por cento e também pesava no índice nesta sessão, após a ação encerrar a última semana com ganho acumulado de quase 10 por cento.

A queda nos papéis preferenciais de Itaú e Bradesco também pressionava o Ibovespa, em razão da expressiva participação na composição do índice, de quase 20 por cento na soma dos dois.

A queda dos papéis da Vale também pesava sob índice, após o preço do minério de ferro voltar a recuar nesta segunda-feira <.IO62-CNI=SI>.

Do lado positivo, o setor elétrico estava entre os destaques no pregão, com Eletrobras avançando cerca de 5 por cento, enquanto segue a expectativa positiva para o novo ciclo de revisão tarifária. O índice do setor subia 1 por cento.

No exterior, os principais papéis da Europa e o índice acionário norte-americano Dow Jones seguiam no azul, enquanto o S&P 500 operava perto da estabilidade, apesar do enfraquecimento dos preços do petróleo .

Pesquisa da Reuters mostrou que os preços da commodity devem atingir o fundo do poço no primeiro semestre de 2015.

Veja as maiores baixas e altas do Ibovespa às 14h08: BAIXAS Ação Código Preço(R$) Variação JBS ON 11,23 -8,10% GERDAU MET PN 10,94 -4,79% GERDAU PN 9,34 -3,51% QUALICORP ON 26,31 -2,81% OI PN 9,72 -2,80% BRADESCO PN 34,75 -2,39% CIELO ON 39,45 -2,35% MARCOPOLO PN 3,40 -2,30% SABESP ON 16,97 -2,30% LOCALIZA ON 35,11 -2,17% ALTAS Ação Código Preço(R$) Variação ELETROBRAS PNB 7,33 +4,56% PDG REALT ON 0,81 +3,85% CEMIG PN 12,60 +3,79% BR PROPERT ON 10,45 +3,47% BR MALLS PAR ON 16,08 +1,90% PETROBRAS ON 9,62 +1,91% COSAN LOG ON 2,80 +1,82% PETROBRAS PN 9,99 +1,63% AMBEV ON 16,20 +1,57% BRASKEM PNA 17,27 +1,53% (Edição de Raquel Stenzel)