Itaú BBA recomenda “calçar” as ações da Arezzo

“Eu quero estes sapatos”, exclama o banco em relatório que sugere a compra das ações

São Paulo – “Eu quero estes sapatos”. É com esta frase que a equipe de pesquisa do Itaú BBA recomenda a compra das ações da fabricante de calçados Arezzo, cujos papéis ordinários (ARZZ3) registram valorização de 21,10% desde 2 de fevereiro deste ano, data de estreia da companhia na BM&FBovespa.

O Itaú BBA ressalta que a Arezzo não é “necessariamente” uma fabricante de calçados, nem uma varejista, mas sim a criadora do design de todos os modelos que comercializa, “tornando a marca uma das mais conhecidas pelo público de sapatos femininos no Brasil”. Cerca de 90% das lojas da Arezzo são franqueadas e uma fatia de 80% da produção é terceirizada.

Em relatório, as analistas Juliana Rozenbaum e Francine Martins destacam que a companhia é beneficiada pelo crescimento da demanda doméstica no Brasil que, por sua vez, é amparada pelo aumento na criação de empregos, alta confiança dos consumidores e ganhos reais de salário.

“Não acreditamos que o recente avanço da inflação ou o ciclo de alta na taxa básica de juros (Selic) terão um impacto considerável nas oportunidades de crescimento da companhia, dada a limitada influência do financiamento de longo prazo concedido aos consumidores sobre a decisão de compra”, explicam.

O banco tem a recomendação outperform (performance acima da média do mercado) para as ações, com um preço-alvo de 28 reais para o final de 2011. O potencial de valorização, considerando o fechamento de ontem (23,01 reais) é de 21,7%.

“Vemos ainda potencial para um aumento no preço das ações, proveniente principalmente do lançamento de novas franquias da marca Schutz, do crescimento mais agressivo da marca Ana Capri (com lojas exclusivas ou multimarcas) e de fusões e aquisições”, destaca o Itaú BBA.

O plano de crescimento da empresa prevê a criação de 160 novas lojas e o dobro de vendas nos próximos cinco anos e planeja ainda duplicar as lojas com as marcas Arezzo e Schutz até 2015. Em seu IPO, a Arezzo movimentou 565,8 milhões de reais em uma oferta primária e secundária de ações.