Índices Dow Jones Industrial e S&P 500 podem se unir, afirma jornal

Proprietários dos indicadores já estão em negociação avançada para o acordo, diz o The Wall Street Journal

Nova York – Os proprietários do índice Dow Jones Industrial e do Standard & Poor’s 500 (S&P 500) estão negociando um acordo para unir os dois indicadores de Wall Street, que estão entre os mais seguidos de todo o mundo, segundo publicou nesta sexta-feira o jornal The Wall Street Journal.

De acordo com fontes anônimas citadas pela publicação, McGraw-Hill, grupo proprietário de Standard & Poor’s, e o CME, proprietário de 90% do índice Dow Jones, se encontram em negociações avançadas para realizar uma sociedade conjunta ou joint venture, com a combinação dos reconhecidos indicadores das bolsas de valores.

De acordo com o The Wall Street Journal, o objetivo da união desses dois índices seria conseguir “uma maior influência sobre os investidores e mercados de valores de todo o mundo”. O jornal detalha que as conversas sobre este acordo começaram há mais de um ano, por isso poderiam não se materializar.

Se chegar a um pacto, a sociedade conjunta que nasceria da fusão seria administrada por McGraw-Hill, que ficaria com uma participação majoritária, enquanto a CME ficaria com cerca de 25%.

Dow Jones & Co., uma unidade do gigante da comunicação News Corporation, da mesma forma que o The Wall Street Journal, vendeu em fevereiro de 2010 90% do índice Dow Jones Industrial ao grupo CME por US$ 607,5 milhões, por isso só controla atualmente 10% do indicador e receberia uma participação minoritária da sociedade conjunta.

O Dow Jones Industrial mede a evolução de 30 das maiores empresas cotadas em Wall Street, enquanto o S&P 500 reúne 500, e junto com o índice composto do mercado Nasdaq são os principais índices do pregão nova-iorquino.

De acordo com o jornal, a fusão entre eles permitiria à nova entidade oferecer um pacote mais amplo de dados a clientes como fundos de alto risco, ou publicações de informação financeira.

Em setembro, o conglomerado McGraw-Hill anunciou que se dividirá em duas companhias diferentes, McGraw-Hill Markets, centrada em mercados financeiros, e McGraw-Hill Education, especializada em serviços educativos.