Bolsas europeias tem máxima em 6 meses, mira emprego nos EUA

Mercados contam com a ajuda de dados econômicos positivos da zona do euro e da Grã-Bretanha

Londres – As bolsas de valores da Europa operavam em alta nesta sexta-feira, atingindo o maior patamar em seis meses, com a ajuda de dados econômicos positivos da zona do euro e da Grã-Bretanha, enquanto os investidores aguardavam números sobre a geração de empregos nos Estados Unidos.

Às 08h39 (horário de Brasília), o índice das principais ações europeias FTSEurofirst 300 subia 0,53 por cento, aos 1.065 pontos -nível não visto desde o começo de agosto. O índice acumula alta de mais de 24 por cento desde a mínima de 2011, atingida em setembro.

Analistas acreditam que a abertura de postos de trabalho nos EUA esfriou em janeiro, mas que a taxa de desemprego ficará na mínima em três anos, consolidando a melhora recente do mercado de trabalho.

“O rali tem acontecido por algum tempo já, então é possível que vejamos uma onda de vendas se o número de empregos adicionais ficar abaixo das expectativas, mas se não decepcionar muito, haverá uma reação contida”, disse o analista do IG Index Chris Beauchamp. “Se nada acontecer na Grécia, isso também pode pressionar os mercados.”

Os bancos eram destaque de alta, com o índice do setor avançando 1,2 por cento. Entre as ações em valorização estavam as do BNP Paribas e do Société Générale , que subiam 3,9 e 1,7 por cento, respectivamente.

Em LONDRES, o índice Financial Times tinha alta de 0,47 por cento, a 5.823 pontos.
Em FRANKFURT, o índice DAX subia 0,34 por cento, para 6.678 pontos.
Em PARIS, o índice CAC-40 ganhava 0,42 por cento, para 3.390 pontos.
Em MILÃO, o índice Ftse/Mib tinha valorização 0,33 por cento, para 16.330 pontos.
Em MADRI, o índice Ibex-35 avançava 0,72 por cento, para 8.835 pontos.
Em LISBOA, o índice PSI20 tinha alta de 0,18 por cento, para 5.403 pontos.