Bovespa sobe por dados no exterior e compromisso grego

O giro financeiro do pregão era de R$ 2,96 bilhões

São Paulo – A bolsa paulista operava em alta nesta quarta-feira, seguindo a divulgação de dados positivos na Europa e da carta de compromisso do líder do partido conservador da Grécia com as medidas de austeridade do país.

Às 13h18, o Ibovespa tinha alta de 0,68 por cento, a 65.482 pontos. O giro financeiro do pregão era de 2,96 bilhões de reais. Nesta quarta, ocorre também o vencimento de opções sobre o índice futuro. No exterior, o índice europeu de ações FTSEurofirst subia 0,3 por cento e o norte-americano Dow Jones cedia 0,27 por cento.

“Saíram alguns indicadores pela manhã, e quase a totalidade dos dados europeus vieram bons. Isso já fez com que as bolsas de fora subissem”, afirmou o operador Sandro Fernandes, da Geraldo Corrêa Corretora de Valores.

Entre os indicadores europeus, o Produto Interno Bruto (PIB) da Alemanha encolheu 0,2 por cento no quarto trimestre, ligeiramente menor que a taxa negativa de 0,3 por cento prevista por economistas em pesquisa da Reuters. Já o PIB da França cresceu 0,2 por cento, ante a expectativa de contração de 0,1 por cento.

Considerando toda a zona do euro, a atividade econômica no quarto trimestre encolheu 0,3 por cento nas 17 nações, em linha com o esperado por economistas em uma pesquisa da Reuters.

Nos Estados Unidos, o índice Empire State de condições gerais de negócios também contribuiu para animar os mercados, subindo para 19,53, contra 13,48 em janeiro, e superando as expectativas dos economistas, que viam uma leitura de 15,0. Fernandes destacou também a notícia vinda da Grécia, com as declarações do partido conservador de que seu líder se comprometeu, em uma carta, com medidas de austeridade.

No Ibovespa, o destaque ficava novamente com a Petrobras , cujas ações permanecem pressionadas desde a divulgação de resultados ruins na semana passada. “Desde os resultados há desconfiança dos investidores com a empresa”, afirmou o operador. A ação preferencial da estatal caía 0,30 por cento, a 23,14 reais, enquanto a ordinária perdia 0,28 por cento, a 24,82 reais.


As maiores altas do índice vinham do setor de construção, com Cyrela Brazil Realty com ganho de 4,47 por cento e Brookfield Participações com valorização de 3,35 por cento.

Na outra ponta, CSN tinha a maior queda, de 2,35 por cento, após o Credit Suisse rebaixar sua recomendação para a empresa de “outperform” (quando espera um desempenho acima da média do mercado) para “neutro” (desempenho em linha).

O rebaixamento também foi feito para os recibos de ações (ADRs) da Vale, negociados em Nova York, o que influenciava nas ações da mineradora na Bovespa. A preferencial caía 1 por cento, a 42,45 reais.