Ibovespa sobe, apoiado em Vale e nas ações “X”

O avanço de Vale e a escalada das ações do conglomerado EBX levantou o principal índice acionário brasileiro nesta terça-feira após um começo de pregão no vermelho

São Paulo – O avanço de Vale e a escalada das ações do conglomerado EBX, do empresário Eike Batista, levantou o principal índice acionário brasileiro nesta terça-feira após um começo de pregão no vermelho, em movimento oposto ao que aconteceu na véspera.

De acordo com dados preliminares, o Ibovespa fechou em alta de 0,82 %, aos 49.489 pontos. O giro financeiro do pregão foi de 6,3 bilhões de reais.

A petroleira OGX e a mineradora MMX, ambas do grupo EBX, se recuperaram parcialmente do tombo de mais de 10 % registrado na segunda-feira, e foram as duas principais altas do Ibovespa.

Em outra frente, o governo federal divulgou nesta terça-feira o novo marco regulatório do setor de mineração, que prevê que o minério de ferro poderá ter um royalty maior sobre o faturamento bruto das empresas, de até 4 %, o que levaria a uma cobrança até duas vezes maior que a atual.

“As manchetes iniciais sugerem que as medidas do governo são positivas para o mercado de ações, e têm como objetivo trazer de volta a confiança do investidor em relação ao país e no setor de mineração”, afirmaram analistas do Credit Suisse em relatório.

Pelo segundo dia seguido, Embraer foi destaque de alta, após a fabricante de aviões ter anunciado pela manhã, em meio ao Paris Air Show, ter recebido encomendas de aviões de empresas da Venezuela, Japão, Índia e Lituânia.

Na outra ponta do índice, a ALL teve o pior desempenho do índice, mesmo após a negativa da companhia para uma reportagem do Valor Econômico afirmando que a empresa de logística estaria planejando uma oferta de ações.

Nos Estados Unidos, as bolsas subiram, à medida que investidores adotaram uma visão otimista sobre a possibilidade de o Federal Reserve moderar declarações recentes indicando a futura redução dos estímulos monetários no país.