Índices europeus fecham em queda após comentários de Trichet

Londres – As bolsas de valores europeias fecharam em queda nesta sexta-feira, pressionadas por comentários do presidente do Banco Central Europeu (BCE), Jean-Claude Trichet, sobre a crise de dívida em países da periferia da zona do euro. Dados de inflação nos Estados Unidos também pesaram.

O índice FTSEurofirst 300 <.FTEU3>, que mede o desempenho dos principais papéis do continente, caiu 0,4 por cento, aos 1.140 pontos, abandonando os ganhos verificados mais cedo após fortes dados sobre a economia de Alemanha e França terem mais do que ofuscado a fraqueza em algumas nações periféricas do continente.

Trichet instou a Grécia a reforçar seu plano de reformas e reiterou a visão de que o país não deveria reestruturar sua dívida.

“Os discursos de Trichet nos últimos dois meses têm indicado uma postura mais ‘hawkish’ (a favor da elevação de juros)”, disse Veronika Pechlaner, que gerencia 100 milhões de euros (144 milhões de dólares) no fundo de ações Ashburton European, embora “a maioria do mercado esteja esperando algum tipo de reestruturação de dívida grega”.

As ações de bancos figuraram entre as de pior desempenho, com o índice de bancos STOXX Europe 600 <.SX7P> em queda de 0,9 por cento. Commerzbank e Dexia , que têm exposição a títulos gregos, caíram 3,3 e 2,4 por cento, respectivamente.

Em LONDRES, o índice Financial Times <.FTSE> fechou em baixa de 0,32 por cento, a 5.925 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX <.GDAX> caiu 0,55 por cento, para 7.403 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 <.FCHI> perdeu 0,11 por cento, a 4.018 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib <.FTMIB> teve desvalorização de 0,11 por cento, para 21.764 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 <.IBEX> retrocedeu 1,25 por cento, a 10.356 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 <.PSI20> encerrou em queda de 0,1 por cento, para 7.766 pontos.