IFC tem US$2 bi para investir no Brasil e apostará em ações

O braço para o setor privado do Banco Mundial investirá "pelo menos" 2 bilhões de dólares no Brasil no seu próximo ano fiscal, que se inicia em julho

Rio de Janeiro – O braço para o setor privado do Banco Mundial investirá “pelo menos” 2 bilhões de dólares no Brasil no seu próximo ano fiscal, que se inicia em julho, e buscará elevar a fatia de aplicações em ações em seu portfólio, disse o responsável pela instituição no país.

A International Finance Corporation (IFC), cujo mandato é investir em projetos que tenham impacto no desenvolvimento social e que também gerem retornos financeiros, vê no país um grande potencial para ambos os objetivos.

“O Brasil tem uma combinação de companhias promissoras com uma boa agenda social”, disse à Reuters o gerente-geral do IFC para o Brasil, Loy Pires.

Dentro dessa estratégia, a instituição anunciou, na quinta-feira, um acordo com o grupo holandês ING para assumir participação de 7,9 % na seguradora SulAmérica, em um negócio de 400 milhões de reais, o maior do IFC no Brasil em ações.

O investimento teve um caráter tanto social, considerando que a maior parte da carteira da seguradora é em saúde, quanto de retorno financeiro de longo prazo, disse Pires.

Tradicionalmente, a instituição tem realizado transações menores, como o investimento de 25 milhões de dólares na empresa de hotéis BHG e a operação no mercado acionário com a Equatorial Energia, na qual detém mais de 5 % do capital, segundo o site da BM&FBovespa, que a preços atuais supera 200 milhões de reais.

O objetivo agora é elevar nos próximos anos as operações de grande porte no país.

“Continuaremos a fazer alguns desses tipos de transações (como a da SulAmérica) no próximos anos”, afirmou o executivo, acrescentando que o mais comum para a entidade é realizar negociações privadas e não no mercado. “Vamos ter uma abordagem mais ativa no Brasil”.


Ele não especificou empresas nem setores de preferência, acrescentando apenas que o IFC quer se concentrar em segmentos que tenham impacto no desenvolvimento social.

Segundo Pires, o alto comando internacional do IFC tem reiterado o compromisso de disponibilizar “recursos significativos” para atuação no Brasil, tanto financeiros como para a contratação de pessoal. Atualmente, são mais de 70 funcionários no país.

O portfólio ativo de investimentos do IFC no Brasil chega a 3,6 bilhões de dólares, incluindo empréstimos sindicalizados e a operação pela fatia na SulAmérica.

O total investido no Brasil no ano fiscal 2013 –que se encerra no fim de junho — foi de cerca de 2,2 bilhões de dólares.