Ibovespa sobe puxado por Vale, que registra maior alta em oito meses

Nova atuação do banco central chinês impulsionou negociações nas bolsas

O Ibovespa subiu 0,81% no pregão desta segunda-feira (17) e fechou em 115.309,08 pontos. Apesar da ausência do mercado americano, que esteve fechado em função do feriado de Dia dos Presidentes, a China ditou o ritmo das bolsas. Neste início de semana, o banco central chinês injetou cerca de 14,33 bilhões de dólares para manter a liquidez de seu sistema bancário e anunciou o corte das taxas de juros de médio prazo. 

“Um feriado nos Estados Unidos sempre deixa as coisas mais soltas, mas o mercado se animou com a melhor perspectiva da China, que está tentando manter um nível de liquidez mais forte”, disse André Perfeito, economista-chefe da Necton.

Nesta segunda, o principal índice acionário do país asiático, o Shangai Composite, subiu 2,28% e recuperou a pontuação em que estava antes de cair 7,7% na reabertura da bolsa de Xangai, que ficou paralisada por dez dias devido ao Ano Novo Lunar e ao risco de infecção por coronavírus. 

Também negociado na China, o minério de ferro teve apreciação de 2,04%, o que ajudou a impulsionar as ações da Vale, que tiveram a maior valorização desde 11 junho do ano passado, avançando 4,73%. Com grande peso no Ibovespa, os papéis da da mineradora sustentaram o índice nesta sessão.

Já os papéis da Totvs subiram 7,75% e lideraram as altas do Ibovespa, tendo no radar as novidades apresentadas no Totvs Day. No evento, a empresa anunciou iniciativas na parte de serviços financeiros, que devem corresponder a 10% da receita.

Outro destaque foram as ações da Marfrig, que se valorizaram 7,64% com foco em seus hambúrgueres vegetais, que passarão a ser vendidos nas lanchonetes Chicohamburger. Um dos principais frigoríficos do país, a Marfrig vem ganhando espaço neste mercado desde o ano passado, quando anunciou parceria com a americana AMD para a fabricação de carnes de origem vegetal e passou a oferecer o produto à rede de fast food Burger King.

Entre as varejistas, os papéis da Magazine Luiza subiram 4,47%, após a divulgação dos resultados do quarto trimestre. No período, o lucro da empresa caiu 11,4%, mas não assustou os acionistas. Parte disso, porque os esforços na parte operacional deram resultados, com as vendas totais da companhia disparando 51% e o segmento e-commerce crescendo 91%. 

“Seguimos com uma visão positiva para a Magalu, que após focar em crescimento robusto para 2019, adotará uma estratégia de plataforma (Magalu as a Service) em 2020, focando no aumento do número de itens vendidos e sellers em sua plataforma”, escreveram analistas da Guide Investimentos em relatório.

Na outra ponta da Bolsa, os papéis da Cosan ficaram na lanterna do Ibovespa, recuando 1,92%.  Dvulgado após o pregão de sexta-feira (14), o balanço da empresa referente ao último trimestre de 2019 decepcionou os investidores. Na comparação anual, o lucro líquido da Cosan caiu 40,3%.