Ibovespa recua com bancos e JBS; contido por Petrobras

Tom negativo prevalecia na Bovespa na manhã desta segunda-feira, guiado pelo declínio de JBS e dos papéis de bancos

São Paulo – O tom negativo prevalecia na Bovespa na manhã desta segunda-feira, guiado pelo declínio de JBS e dos papéis de bancos, com avanço nas bolsas externas contrabalançando o declínio nas commodities.

Às 11h45, o Ibovespa perdia 0,75 por cento, a 49.280 pontos. O volume financeiro era de 767 milhões de reais. A expectativa é de que o ritmo de negócios diminua nesta semana, entrecortada pelo feriado de Natal.

Análise técnica da Itaú Corretora diz que o Ibovespa segue em tendência de baixa no curto prazo e possui suporte inicial em 48.200 pontos.

“Abaixo deste suporte, o mercado perde o momento de recuperação e voltará a ganhar força para baixo rumo à região de fortíssimo suporte em 44.900/44.100 pontos”, diz relatório da corretora nesta segunda-feira. “Do lado da alta, o Ibovespa possui próximas resistências em 50.300 e 52.000 pontos.”

As ações da Petrobras operavam com volatilidade, mas subiam, conforme agentes financeiros seguem na expectativa de alteração na diretoria da estatal, que está no centro de um escândalo de corrupção.

O analista Marco Aurélio Barbosa, da CM Capital Markets, destacou entrevista da funcionária da companhia Venina Velosa da Fonseca, ao programa Fantástico, da TV Globo, na véspera. Na conversa, Venina reiterou ter alertado inclusive a presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster, sobre irregularidades na estatal. “A entrevista foi bastante contundente dada a firmeza da ex-gerente nas respostas, sem titubear e não caindo em contradições e deve pesar bastante para as mudanças na diretoria da empresa”, disse Barbosa.

Os papéis da Vale exibiam leve alta, apesar do preço do minério de ferro voltar a recuar nesta segunda-feira.

O setor elétrico estava entre os destaques positivos no pregão, com Eletropaulo avançando cerca de 0,6 por cento, enquanto segue a expectativa positiva para o novo ciclo de revisão tarifária da empresa. Eletrobras subia 3,7 por cento.

Do lado negativo, JBS despencava mais de 5 por cento, após subir mais de 4 por cento na semana passada. Outra companhia exportadora de alimentos, a BRF também pesava no índice nesta sessão, com queda de 2,4 por cento, após encerrar a última semana com ganho acumulado de quase 10 por cento.

A queda nos papéis preferenciais de Itaú e Bradesco também pressionava o Ibovespa, em razão da expressiva participação na composição do índice, de quase 20 por cento na soma dos dois.

No exterior, as bolsas na Europa e os futuros acionários norte-americanos ainda sustentavam os ganhos, apesar do enfraquecimento dos preços do petróleo .

Em relação ao petróleo, pesquisa da Reuters mostrou que os preços devem atingir o fundo do poço no primeiro semestre de 2015.